Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Movimento Black Lives Matter invade aeroporto londrino e força desvio de voos

  • 333

EDDIE KEOGH/REUTERS

Para chegar à pista que invadiram esta manhã no aeroporto London City, os nove manifestantes recorreram a um bote de borracha igual aos que são usados pelas centenas de milhares de refugiados nas perigosas travessias do Mediterrâneo, na tentativa de alcançarem o território europeu

Todos os voos com aterragem prevista para o aeroporto London City na manhã desta terça-feira estão a ser desviados para os aeroportos londrinos de Gatwick e Southend, após um grupo de manifestantes do ramo britânico do movimento Black Lives Matter ter invadido uma pista daquele aeroporto, em protesto contra o impacto desigual das alterações climáticas, que apesar de serem globais afetam sobretudo a África subsariana e as populações e comunidades mais pobres e vulneráveis do planeta.

A Polícia Metropolitana de Londres diz que nove manifestantes "presos uns aos outros" ocuparam uma das pistas do London City pelas 5h40 locais, num protesto que o Black Lives Matter UK confirmou de imediato ser da sua responsabilidade.

"Apesar de uma pequena elite poder voar de e para o aeroporto London City, só em 2016 pelo menos 3176 migrantes morreram ou desapareceram no Mediterrâneo", disse no Twitter o ramo britânico do movimento nascido nos EUA para combater a discriminação racial e abusos cometidos pelas autoridades contra minorias.

"Os negros são os primeiros a morrer, não os primeiros a voar, nesta crise do clima racista. O Reino Unido está disposto a recorrer a voos fretados especiais para remover os negros do país com base no seu estatuto de imigração. Esta ação [no aeroporto London City] serve para sublinhar o impacto ambiental do Reino Unido nas vidas de pessoas negras aqui e globalmente. Sendo o maior contribuinte per capita para as alterações climáticas, e ainda assim um dos países menos vulneráveis aos seus efeitos mortíferos, o Reino Unido assegura que a crise do clima é uma crise racista."

À BBC, fonte da Scotland Yard disse pelas 9h da manhã que uma equipa de agentes estava a "negociar" com o grupo enquanto aguardava a chegada de especialistas para "libertar os manifestantes", que se terão algemado uns aos outros. De acordo com uma testemunha ao "Evening Standard", os manifestantes conseguiram contornar a segurança e alcançar a pista usando um bote de borracha que atracaram numa das docas do rio Tamisa que circundam parte daquele aeroporto. "Eles estão na pista cercados pela polícia. Não estou certo de que estejam algemados uns aos outros, mas estão certamente presos uns aos outros."

Para já ainda nenhuma pessoa foi detida. O porta-voz do aeroporto disse ao "The Independent" que "a pista está encerrada por causa dos manifestantes no local", pedindo desculpa aos passageiros pelo incómodo causado. O City London é popular entre banqueiros e empresários por causa da proximidade ao distrito de Canary Wharf, um dos grandes centros empresariais da capital londrina. No ano passado, 4,3 milhões de passageiros usaram o aeroporto.