Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Avião da Emirates tentou levantar voo antes de se incendiar na aterragem

  • 333

STR / EPA

Relatório inicial indica que trem de aterragem não estava totalmente operacional e que comandante tentou levantar voo antes de efetuar uma aterragem de emergência

O piloto do avião da Emirates Airlines que se incendiou no passado dia 3 de agosto, durante a aterragem no aeroporto Internacional do Dubai, terá tentado levantar voo novamente depois de o aparelho ter tocado temporariamente a pista. A conclusão consta de um relatório preliminar da Autoridade de Aviação Civil dos Emirados Árabes Unidos, divulgado esta terça-feira pela Associated Press.

O documento de 28 páginas refere que a tripulação recebeu um alerta a indicar uma mudança brusca na velocidade ou direção do vento quando o Boeing 777-300 se aproximava do Dubai. Durante a primeira tentativa de colocar o avião na pista, o trem de aterragem direito bateu em primeiro lugar no chão, com o esquerdo a responder com três segundos de atraso.

Depois, o comandante do avião tentou levantar voo novamente antes da segunda tentativa de aterragem. Sem o trem de aterragem totalmente operacional, o piloto avisou os passageiros de que seria obrigado a fazer uma aterragem de emergência.

Entretanto, um incêndio deflagrou no aparelho pouco depois deste ter aterrado ‘de barriga’. Toda a parte superior do avião da Emirates Airlines – que partira da cidade indiana de Thiruvananthapuram, capital do estado de Kerala, com destino ao Duba – foi destruída pelas chamas.

Os 282 passageiros e os 18 tripulantes saíram ilesos, mas um dos bombeiros que combateu as chamas não resistiu aos ferimentos.