Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sri Lanka livre de malária

  • 333

OMS garante que não foram registados casos de transmissão da doença nos últimos três anos e meio

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou esta segunda-feira que o Sri Lanka está livre de malária. O diretor regional da instituição, Poonam Khetrapal Singh, revela que é um feito “notável”, visto que este país estava entre os mais afetados pela doença no século passado.

Em 2006, no Sri Lanka, foram registados menos de 1000 casos de malária por ano. Em outubro de 2012, este número foi reduzido para zero. De acordo com Singh, a eliminação da doença no país foi possível graças à “coragem e visão dos seus líderes e demonstra ainda a importância do envolvimento da comunidade local”. Para o sucesso na erradicação da doença foi ainda fundamental o apoio de parceiros como a própria OMS e o Fundo Global de luta contra a SIDA, Tuberculose e Malária.

A eliminação da Malária no Sri Lanka não foi um processo fácil. Depois do aumento dos casos nas décadas de 70 e 80, a campanha anti-malária dos anos 90 ajustou a sua estratégia para ter como alvo principal o parasita que é transmitido por um mosquito que causa a doença e não só o mosquito. As clínicas móveis para tratamento de casos de malária em zonas de alta transmissão vieram assegurar um “tratamento imediato e eficaz que reduziu o reservatório do parasita e a possibilidade de posterior transmissão”, garante a instituição.

Para garantir a completa erradicação da doença e assegurar que o parasita não volte a entrar no país, a campanha anti-malária está a trabalhar em colaboração com as autoridades locais e com os parceiros internacionais para “manter a vigilância e capacidade de resposta e para rastrear populações de alto risco que entram no país”, assegura a OMS.