Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Malásia regista primeiro caso suspeito de zika

  • 333

FABRICE COFFRINI/AFP/GETTY

Autoridades acreditam que o vírus tenha sido contraído em Singapura, onde a mulher de 58 anos esteve no final de agosto

Helena Bento

Jornalista

A Malásia registou esta quinta-feira o primeiro caso suspeito de zika numa mulher de 58 anos, cujos testes para detetar a infeção pelo vírus deram positivo. As autoridades acreditam que o vírus foi contraído em Singapura, onde a mulher esteve no final de agosto, em visita à filha.

Uma semana após o regresso, a mulher começou a sentir-se mal (tinha febre) e foi diagnosticada como um caso “suspeito” de zika, com base num teste de urina. “Adotámos várias medidas de controlo contra mosquitos Aedes aegypti [responsáveis pela transmissão do vírus] nas imediações da casa onde vive a mulher, para prevenir a propagação do vírus”, disse em conferência de imprensa o ministro da Saúde malásio, Subramaniam Sathasivam, citado pelo Al Jazeera.

Em Singapura, o número de infetados pelo vírus subiu para 115, tendo sido detetado na quarta-feira à noite o primeiro caso de transmissão a uma grávida. Até agora, era o único país asiático onde foram registados casos de infeção pelo vírus, segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC).

De acordo com um relatório da Organização Mundial de Saúde, 67 países e territórios já reportaram casos de transmissão do zika. O Brasil é o caso mais grave, com pelo menos 1749 casos de microcefalias e/ou malformações em bebés, associadas ao vírus.