Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia suspeita que ataque a laboratório criminal de Bruxelas foi para destruir provas

  • 333

Polícia belga investiga ataque a laboratório de Criminiologia de Bruxelas

STEPHANIE LECOCQ/EPA

Um carro abalroou três cercas do Instituto de Criminologia da capital belga antes de “um ou mais suspeitos” terem detonado explosivos perto dos laboratórios. Não há registo de mortos ou feridos. Já há detidos

Cinco pessoas foram detidas na sequência de uma ataque às instalações do Instituto de Criminologia de Bruxelas, que não causou quaisquer vítimas mortais ou feridos. Segundo as autoridades belgas, que não confirmaram se chegou a existir uma explosão, o ataque terá sido produzido com vista à destruição de provas forenses.

De acordo com a RTL, citada pela BBC, passava pouco das 2h30 da madrugada na capital belga (menos uma hora em Lisboa) quando um carro abalroou três barreiras de segurança da infraestrutura, altura em que os bombeiros foram chamados para apagarem um incêndio perto dos laboratórios.

O incêndio causou danos “significativos” à estrutura dos laboratórios.

A porta-voz da Procuradoria Geral (orgão semelhante ao Ministério Público português), Ine Van Wymersch declarou que “a localização [deste ataque] não foi aleatória”. “É um local importante, que guarda documentos confidenciais relacionados com investigações em curso.”

O instituto independente, ligado ao organismo federal de Justiça da Bélgica, situa-se em Neder-Over-Hembeek, subúrbio norte de Bruxelas. Nele são conduzidas análises científicas relacionadas com casos criminais como os atentados executados pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) que, a 22 de março, provocaram 32 mortos e 340 feridos no aerporto de Zaventem e na estação de metro de Maelbeek, e que colocaram todo o território belga em alerta.

[Notícia atualizada às 12h30]