Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dono de restaurante em França recusa servir muçulmanos porque “são todos terroristas”

Duas mulheres muçulmanas foram impedidas de jantar, este sábado, num restaurante nos arredores de Paris pelo proprietário do estabelecimento. O Comité contra a Islamofobia em França e o Governo estão a acompanhar o caso

“Os terroristas são muçulmanos e todos os muçulmanos são terroristas.” A chocante frase foi proferida pelo proprietário do restaurante francês Le Cénacle que se recusou a atender duas mulheres muçulmanas.

O incidente, captado em vídeo e partilhado nas redes sociais este domingo, terá acontecido durante a noite anterior no restaurante distinguido no guia Michelin, localizado nas proximidades do aeroporto internacional Charles de Gaulle, em Tremblay-en-France, subúrbios de Paris.

No vídeo, que foi filmado com recurso a um telemóvel, veem-se duas mulheres sentadas a uma mesa e um homem que se recusa a servi-las, enquanto lhes pede que saiam e as insulta.

“Pessoas como vocês, não as quero aqui”, disse em voz alta no interior da sala de restaurante, enquanto prosseguia: “Estão a impor a vossa presença aqui... saiam”, ordenou.

O indivíduo mencionou ainda o episódio em que dois jovens entraram na igreja de Saint Etienne de Rouvray, a 26 de julho, e degolaram o padre de 86 anos. “Eles mataram um padre recentemente, certo?”, atirou, referindo-se aos muçulmanos.

As mulheres, uma das quais usava um véu na cabeça, queixaram-se de não terem sido avisadas previamente que não eram bem-vindas, mas acabaram por aceitar sair do estabelecimento.

Numa mensagem divulgada através do Twitter, Laurence Rossignol, a ministra francesa das Famílias, da Infância e dos Direitos das Mulheres, afirmou ter ordenado uma investigação ao caso e pediu sanções contra o “comportamento intolerável” do dono do restaurante.

O Comité contra a Islamofobia em França disse que vai garantir “assistência legal e psicológica” às duas mulheres. “O que me afeta no vídeo escandaloso do Cénacle é a indiferença dos outros clientes”, que em momento algum reagem às provocações sofridas pelas duas muçulmanas, afirmou na mesma rede social o diretor do Comité, Marwan Muhammed.

Segundo fontes locais, o dono do restaurante pediu desculpa pelo ocorrido a um grupo de membros da comunidade muçulmana que se juntaram à porta do Le Cénacle pedindo-lhe explicações. Alegadamente, o homem terá perdido um amigo no ataque de novembro de 2015 à sala de espetáculos Bataclan.