Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Se vir uma mulher polícia de rosto coberto não se espante. É a ‘nova’ Turquia

  • 333

O Presidente da Turquia acompanhado pela mulher, Emine Erdogan, na inauguração da terceira ponte do Bósforo. 26 de agosto em Istambul

TURKISH PRESIDENTAL PRESS OFFICE / HANDOUT/EPA

A Turquia afasta-se cada vez mais do caminho da secularização que iniciou há 100 anos. O regime do Presidente Erdogan decidiu autorizar as mulheres polícia a porem o véu islâmico quando estão fardadas. A estética parece ter sida em conta porque o véu tem de ser da “mesma cor” do uniforme e não pode ter desenhos.

A Turquia autorizou pela primeira vez as mulheres polícia a colocarem o véu islâmico, quando estão a usar uniforme, com base numa decisão da justiça, publicada este sábado. As mulheres que trabalham na polícia "poderão ter a cabeça coberta" debaixo do boné ou boina, desde que o véu "seja da mesma cor que o uniforme e não tenha qualquer tema", precisa a decisão que é divulgada na publicação oficial.

Os meios de comunicação pró governamentais salientam que vários Estados ocidentais, como a Escócia ou o Canadá, já permitem às polícias usar véu.

O governo de Ankara autorizou o uso do véu nas universidades e no parlamento e, nos últimos dois anos, na função pública e nos liceus.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, no poder desde 2003, é frequentemente criticado pelo seu autoritarismo. Esta decisão é uma nova medida contra a os defensores da República laica fundada em 1923 por Mustafa Kemal Atatürk.