Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sismo em Itália. Balanço de mortos sobe para 247

  • 333

Giuseppe Bellini

Mais de 4300 membros dos serviços de emergência italianos estão numa corrida contra o tempo para resgatar sobreviventes

O balanço de vítimas mortais do sismo que atingiu o centro de Itália na madrugada desta quarta-feira foi atualizado para 247, à medida que os mais de 4300 membros das equipas de resgate e salvamento lutam contra o tempo para encontrarem sobreviventes sobre os escombros em Amatrice, Accumoli e Pescara del Tronto.

O sismo, de magnitude 6,2 na escala de Richter fez-se sentir pelas 3h30 locais (menos uma hora em Lisboa) da madrugada de quarta-feira; desde então, mais de uma centena de réplicas abanou a zona centro da península italiana, na cordilheira dos Apeninos, onde qualquer novo abalo pode provocar novos deslizamentos de terras e quedas de edifícios já parcialmente destruídos. Foi esse o grande medo dos residentes e turistas que passaram a madrugada desta quinta-feira ao relento, quando uma nova réplica forte com mais de 5 graus de intensidade voltou a espalhar o pânico entre os sobreviventes.

Ao longo da noite, as equipas dos serviços de emergência usaram o equipamento pesado disponível e muitos apenas as próprias mãos para tentarem retirar mais sobreviventes dos escombros. Muitas das vítimas mortais, de acordo com o Ministério da Saúde, são crianças.

As autoridades já avisaram que o balanço pode aumentar durante esta quinta-feira, após novas buscas entre os resquícios de edifícios históricos do império romano e habitações mais recentes que sucumbiram ao tremor de terra, que se fez sentir até na capital, Roma, e noutras cidades a mais de 100 quilómetros de distância.

Durante a noite de quarta-feira, os sobreviventes em Pescara del Tronto aplaudiram quando uma criança de quatro anos foi retirada dos escombros com vida após ter estado presa quase 18 horas.

Quase todas as casas daquela localidade colapsaram com o sismo, ao qual se seguiram dezenas de réplicas ao longo do dia de ontem e já na madrugada desta quinta-feira. O mesmo aconteceu em Amatrice, onde dois terços da cidade ficaram totalmente destruídos, segundo o autarca, que avisou que nenhum edifício dos que resistiram total ou parcialmente está utilizável para habitação. Toda as zonas atingidas estão situadas numa região de intensa atividade sísmica.

Entre as vítimas conta-se uma bebé de 18 meses, Marisol Piermarini, cuja mãe, Martina Turco, sobreviveu ao famigerado sismo de 2009 em Áquila, que provocou mais de 300 mortos e que a levou a mudar-se para o centro de Itália. Turco esteve a receber tratamentos no hospital após ter sido resgatada em Arquata del Tronto, avançou a agência ANSA.

Apesar de as comunas mais atingidas terem relativamente pouca população residente cada uma, a região é um famoso destino turístico e gastronómico, pelo que muitas das vítimas são estrangeiros ou italianos de outras zonas do país que estavam a gozar dias de férias.