Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Turquia bombardeia alvos do Daesh na Síria antes de ofensiva rebelde

  • 333

Jornal "Hurriyet" diz que fragmentos encontrados são consistentes com tipo de bombas usadas pelo Daesh em anteriores ataques aos curdos

ILYAS AKENGIN

Ataques aéreos contra células do autoproclamado Estado Islâmico na fronteira entre os dois países surgiram a par de bombardeamentos às YPG curdas, que o Governo turco considera serem uma extensão do PKK na Síria

As forças da Turquia bombardearam na segunda-feira alvos do autoproclamad Estado Islâmico (Daesh) no norte da Síria, numa altura em que crescem os rumores de que um grupo de 1500 rebeldes sírios está a preparar-se para lançar uma nova ofensiva contra o grupo extremista perto da fronteira com a Turquia, a partir da cidade turca de Gaziantep.

Posições de artilharia no sudeste da Turquia dispararam contra o Daesh mas também contra milícias curdas sírias, as YPG, nas cidades de Jarablus e Manbij, um dia depois de um ataque suicida ter provocado 54 mortos durante um casamento em Gaziantep.

A maioria dos mortos eram crianças e pelo menos 13 eram mulheres, havendo suspeitas de que também o bombista teria entre 12 e 14 anos de idade. Essa informação foi avançada no domingo à noite, horas depois do ataque, pelo próprio Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan — com o primeiro-ministro, Binali Yildrim, a referir ontem que essa informação ainda não foi confirmada. Sessenta e seis pessoas continuam internadas a receber tratamento médico, 14 delas em estado grave.

É provável que o ataque de domingo em Gaziantep tenha sido obra do Daesh, que tem usado cada vez mais crianças-bombistas nos seus ataques e que poderá ter tentado antecipar-se à ofensiva iminente dos rebeldes sírios a partir daquela cidade.

Em declarações aos media, o ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Cavusoglu, disse que o grupo radical tem de ser "completamente limpo" do norte da Síria, onde uma coligação que inclui as YPG tem estado a expulsar o grupo terrorista de uma série de cidades sírias, incluindo Manbij.

Apesar disso, ontem as forças turcas bombardearam igualmente posições dos curdos sírios a norte de Manbij, mantendo a estratégia de combate ao que o Governo turco diz ser uma extensão do ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que luta pela autonomia do povo curdo dentro da Turquia desde os anos 1980.