Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líder do Boko Haram terá morrido em ofensiva militar na Nigéria

  • 333

A mensagem está a ser atribuída ao líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, exibido neste cartaz onde se oferece uma recompensa pela sua captura

PIUS UTOMI EKPEI/AFP/Getty Images

Porta-voz do exército nigeriano diz que Abubakar Shekau sofreu “ferimentos fatais nos ombros” em emboscada a militantes do grupo extremista na floresta de Sambisa, na fronteira com os Camarões

O líder do Boko Haram terá morrido num ataque aéreo executado pelas forças militares da Nigéria, na semana passada, contra um bastião do grupo na floresta de Sambisa, perto da fronteira com os Camarões.

De acordo com o porta-voz do exército nigeriano, o coronel Sani Kukasheka Usman, Abubakar Shekau "terá sofrido ferimentos fatais nos ombros" durante a emboscada aérea no noroeste do país. O ataque resultou nas mortes já confirmadas de três dirigentes do Boko Haram — Abubakar Mubi, Malam Nuhu e Malam Hamman — com vários outros militantes feridos.

Para já, o destino de Shekau não é conhecido, nem a sua alegada morte foi confirmada oficialmente pelo grupo. A notícia de que ficou gravemente ferido e de que terá sucumbido a esses ferimentos segue-se à crescente especulação de que foi substituído recentemente pelo antigo porta-voz do Boko Haram, o sheikh Abu Musab al-Barnawi.

A alegada nomeação de Al-Barnawi para liderar o Boko Haram foi avançada por uma revista publicada pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), a quem o grupo islamita nigeriano jurou fidelidade em março de 2015. Uma semana depois dessa publicação, Shekau apareceu num vídeo divulgado nas redes sociais a gozar com notícias recentes sobre a sua morte.

Exército tenta resgatar alunas de Chibok

O correspondente da Al-Jazeera em Abuja diz que o ataque aéreo ao campo de Shekau na floresta de Sambisa ocorreu na sexta-feira quando os militantes estavam reunidos "para uma espécie de cerimómia" no local para onde terão sido levadas as mais de 270 alunas de um colégio de Chibok raptadas pelo Boko Haram em abril de 2014.

"Sabemos que as meninas de Chibok estão no campo de Shekau", aponta o jornalista Ahmed Idris. "O exército nigeriano diz que está a fazer tudo o que está ao seu alcance para as resgatar." A emboscada das forças nigerianas aconteceu menos de uma semana depois de o grupo ter divulgado um novo vídeo onde se vêem algumas das reféns.

A possibilidade de que Shekau tenha morrido no ataque do final da semana passada deverá marcar a visita oficial do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, à Nigéria para discutir estratégias de combate ao grupo que se instalou no norte do país em 2009 com o intuito de criar um califado islâmico naquela região.

Nos últimos meses, as forças nigerianas têm conseguido reaver o controlo de grandes partes do território até agora dominado pelo Boko Haram com a ajuda de tropas dos países vizinhos. Mais de 20 mil pessoas já morreram e pelo menos 2,6 milhões de outras foram forçadas a abandonar as suas casas desde o início do conflito há sete anos.