Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Turquia. Bombista tinha entre 12 a 14 anos, diz Erdogan

  • 333

UMIT BEKTAS/ Reuters

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan já veio acusar o autoproclamado Estado Islâmico de ser responsável pelo ataque. Restos do colete de explosivos já foram encontrados

O bombista responsável pela morte de pelo menos 51 pessoas e mais de 100 feridos, numa festa de casamento em Gaziantep, cidade turca perto da fronteira com a Síria, no sábado à noite, tinha entre 12 a 14 anos, anunciou Recep Tayyip Erdogan, em declarações à televisão turca NTV. O Presidente turco assegurou também, este domingo, que já foram encontrados restos do colete de explosivos utilizado pelo bombista suicida.

Ali Yerlikaya, governador de Gaziantep, classificou o sucedido como um “atentado terrorista”, embora não tenha querido, numa fase inicial, apontar responsáveis pelo sucedido. Na madrugada deste domingo, anunciou em comunicado que 50 pessoas morreram num “horrendo atentado à bomba num casamento”. Pouco depois, Erdogan, também por comunicado, veio acusar o Daesh de ser “provavelmente o autor” do ataque.

Na mesma missiva, Erdogan disse não existir “nenhuma diferença” entre o clérigo no exílio Fethullah Gülen – responsável pela tentativa falhada de golpe de Estado, a 15 de julho, segundo o presidente turco -, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e o grupo terrorista.

A explosão ocorreu pouco antes da meia-noite local (22h em Lisboa) na cidade de Gaziantep, de maioria curda, que fica a cerca de 64 km da fronteira com a Síria.

Na altura do ataque, decorria uma cerimónia tradicional em honra da noiva nas ruas do bairro de Akdere. Segundo o “El País”, aquela zona é conhecida por receber grande parte da população deslocada, devido aos conflitos entre o PKK e as forças de segurança turcas desde a década de 1990.

Em junho, um atentado no aeroporto de Istambul fez 45 vítimas mortais. À medida que o número de mortos sobe em Gaziantep, confirma-se que este já é o atentado mais letal de 2016 na Turquia.