Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente mexicano aceitaria encontrar-se com Trump

  • 333

Mark Wilson/ Getty images

O candidato Republicano já disse que os mexicanos eram violadores e que estavam ligados ao mundo da droga. E Enrique Peña Nieto já comparou o norte-americano a Hitler

Já o comparou a Adolf Hitler e a Benito Mussolini, mas mesmo assim Enrique Peña Nieto, presidente do México, está disponível para se encontrar com Donald Trump. Esta quarta-feira, foi divulgado um excerto de uma entrevista do líder mexicano em que o futuro das relações entre os dois países é tema de conversa.

“Sim, encontrar-me-ia com ele [Trump]. Nunca o conheci. Não posso concordar com algumas coisas que ele já disse, mas serei absolutamente respeitador e procurarei trabalhar com quem for o próximo presidente dos Estados Unidos da América”, defendeu, citado pela agência Reuters.

No dia em que apresentou a candidatura à Casa Branca, Donald Trump chocou o mundo ao prometer a construção de um muro entre os Estados Unidos e o México. “Não enviam para aqui a sua melhor gente. Estão a enviar gente com muitos problemas: que trazem drogas, crime, ou são violadores. Admito que alguns sejam boas pessoas, mas falo com guardas fronteiriços e é essa a ideia comum”, disse a há um ano.

As comparações e as duras palavras à comunidade latina e aos migrantes têm sido constantes durante a campanha.

Em março desde ano foi o presidente mexicano que comentou a postura de Trump: “Infelizmente, houve vários episódios na história humana onde estas expressões de retórica estridente só conduziram a situações ameaçadoras. Foi assim que apareceu Mussolini, foi assim que apareceu Hitler, que tomaram vantagem da situação, um problema talvez, que a humanidade estava a travessar naquele tempo”.

As sondagens mais recentes, citadas pelo jornal argentino “La Nation”, apontam que 75% dos mexicanos tem uma posição “desfavorável” ou “muito desfavorável” em relação a Donald Trump.