Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Clérigo radical britânico condenado a dez anos de prisão

  • 333

Ben Pruchnie/GettyImages

Anjem Choudary apelou repetidas vezes, e de variadas formas, ao apoio ao autodenominado Estado Islâmico. Vários dos seus seguidores cometeram crimes em nome do grupo extremista

O clérigo muçulmano británico Anjem Choudary foi condenado a dez anos de prisão por um tribunal de Londres, por apelar ao apoio ao autodenominado Estado Islâmico (Daesh). Acusado de encorajar jovens muçulmanos, vários dos seguidores de Choudary cometeram crimes em nome do grupo extremista.

Entre as ações de apoio ao Daesh, o clérigo, de 49 anos e o co-réu, também condenado, Mohammed Mizanur Rahman, de 33, colocaram uma série de vídeos no Youtube onde juravam fidelidade ao líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi. Participaram também em vários encontros e conferências.

Ainda que o veredicto tenha sido emitido no dia 28 de julho, só agora foi tornado público, devido a restrições legais.

Anjem Choudary, antigo advogado, foi presidente da Sociedade Británica de Advogados Muçulmanos. Chegou a defender a transformação do palácio de Buckingham numa mesquita e, por várias vezes, incitou os muçulmanos, através das redes sociais, a viajarem para a Síria, para apoiar o Estado Islâmico.

O clérigo foi ainda notícia por organizar um evento pró-Osama Bin Laden em Londres, em 2011, e integrou um grupo que queimou papoilas (um símbolo que homenageia os mortos na Grande Guerra) durante um protesto no Dia do Armistício, em Londres, um ano antes.