Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

NASA regista o mais quente mês de julho desde 1880

  • 333

Spencer Platt/GettyImages

A temperatura recorde é atribuída às alterações climáticas e para os especialistas comprova os alertas há muito lançados: “O planeta está a aquecer”

Se não tem memória de alguma vez ter sentido tanto calor em julho como no mês passado, a NASA dá-lhe razão. Dados divulgados esta segunda-feira pela Agência Espacial norte-americana revelam um aumento recorde de temperatura, o que fez de julho de 2016 o mês sete mais quente alguma vez registado desde 1880 (altura em que começou a ser assinalada a temperatura global).

Julho foi também o décimo mês mais quente registado em sequência. Ou seja, desde há dez meses que a temperatura, para cada mês respetivo, tem subido sempre.

Os especialistas atribuem o facto às alterações climáticas provocadas pela queima de combustíveis fósseis, em conjunto com a intensificação do El Niño, fenómeno cujos efeitos afetam todo o mundo.

Segundo os dados da NASA, julho de 2016 foi 0,84º C mais quente do que a média registada entre 1950 e 1980. Se comparado com os meses de julho mais quentes até agora registados – em 2011 e 2015 – os termómetros subiram 0,11º C.

Gavin Schmidt, diretor do Instituto Goddard para os Estudos Espaciais da Nasa, sublinha o que é incontornável: “O planeta está a aquecer. E isto é importante pelo que nos diz em relação ao futuro”.