Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Brexit: saída do Reino Unido da UE pode ser adiada até 2019

  • 333

Franco Origlia / Getty Images

O Governo da primeira-ministra Theresa May indicou que pretende invocar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa no início de 2017, o que significaria uma saída efetiva no início de 2019

A saída efetiva do Reino Unido da União Europeia (UE) pode ser adiada até ao final de 2019, motivada por dificuldades encontradas pela administração britânica e devido às eleições em França e na Alemanha, avança o jornal “Sunday Times”.

O Governo da primeira-ministra Theresa May indicou que pretende invocar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa no início de 2017. O recurso a este artigo dá início a um período de negociações de dois anos, ao fim dos quais o país em causa abandona a União.

Se o processo for ativado no início de 2017, tal significaria uma saída efetiva no início de 2019. No entanto, de acordo com o “Sunday Times”, os ministros britânicos terão prevenido os responsáveis do setor financeiro da City de Londres que o recurso ao artigo 50.º pode acontecer no final de 2017, o que empurraria o 'brexit' para o final de 2019.

“Os ministros acreditam agora que o processo pode ser atrasado para o outono de 2017”, disse ao jornal uma fonte da City, sob anonimato, que diz ter discutido a questão com dois ministros.

“Não têm as infraestruturas para as pessoas que têm de contratar. Dizem que nem sabem quais são as perguntas certas a colocar quando finalmente começarem a negociar com a Europa”, disse a mesma fonte. Um ministro do atual Governo disse ainda ao jornal que o calendário das eleições alemãs e francesas criou “alguns desafios”.

França realiza eleições presidenciais em abril e maio do próximo ano, e a Alemanha no outono. May criou um ministério para gerir as negociações do 'brexit', após o referendo de 23 de junho em que os britânicos decidiram sair da União Europeia, mas o ministro em causa, David Davis, apenas contratou metade da equipa que necessita.