Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump criticado após incitar à violência contra Hillary Clinton

  • 333

AFP

Em resposta, a candidata democrata à Casa Branca diz que as afirmações do seu rival “demostram que Trump não tem temperamento para ser presidente dos EUA”

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, foi esta quarta-feira criticado após afirmar que os "amantes de armas podem fazer algo" para travar a sua rival, a democrata Hillary Clinton, tendo sido interpretado como uma incitação à violência.
Durante atos eleitorais na terça-feira, na Carolina do Norte, Trump assegurou que a sua rival democrata "quer abolir a Segunda Emenda", o artigo na Constituição dos Estados Unidos que defende o direito de porte de armas.

"Se conseguir eleger juízes (do Supremo Tribunal) não vai existir nada que possamos fazer, ainda que para as pessoas [que defendem] a Segunda Emenda é possível fazer algo. Eu não sei", afirmou o candidato republicano.

De imediato, as críticas nas redes socias e nos meios de comunicação expressavam indignação pelas palavras proferidas por Trump, tendo sido considerado uma incitação à violência.
O magnata recorreu às redes socias para culpar os meios de comunicação e assegurou estarem "desesperados por distrair a atenção".

"O que eu disse é que cidadãos partidários da Segunda Emenda devem organizar-se e votar para salvar a nossa Constituição!", disse o magnata.

Clinton respondeu, dizendo que os comentários feitos pelo magnata "demostram que Trump não tem temperamento para ser presidente dos Estados Unidos".