Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump acusa Obama de ter fundado o Daesh e tem apoio dos nazis

  • 333

Joe Raedle/Getty

O candidato republicano à Casa Branca diz que Hillary Clinton é uma “perdedora” e ajudou Obama a fundar o Estado Islâmico. Entretanto, o líder do partido nazi norte-americano declarou apoio a Trump, defendendo que a sua vitória será uma oportunidade para os supremacistas brancos

Segue polémico como sempre Donald Trump. Um dia depois de ter incitado à violência contra a sua rival Hillary Clinton, o candidato republicano à Casa Branca acusou esta quarta-feira Barack Obama de ter fundado o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh).

“O Daesh está a honrar o Presidente Obama. Ele é o fundador do grupo radical islâmico e posso dizer que a co-fundadora é Hillary Clinton”, declarou Donald Trump esta noite durante um comício na Florida.

O candidato republicano insistiu ainda nas críticas à candidata democrata na corrida à presidência dos EUA: “A Hillary disse que não gosta do meu tom. Olhem eu não gosto do temperamento dela. O seu temperamento é de uma perdedora”, acrescentou sob fortes aplausos da plateia.

A estas declarações ainda não houve uma reação de Obama ou Hillary, mas na quarta-feira a candidata democrata disse que os comentários do seu opositor demonstram que não tem temperamento para conduzir o país. “Ontem assistimos ao mais recente episódio de uma longa lista de afirmações de Donald Trump que pisam a linha. As palavras importam, meus caros. Quando se está a concorrer à presidência dos EUA as palavras podem ter tremendas consequências”, respondeu Hillary durante um comício no estado de Iowa.

A candidata à Casa Branca referia-se aquele que considera ser um incitamento à violência, quando Trump afirmou na terça-feira que os “amantes das armas poderiam fazer algo” contra si uma vez que a candidata democrata pretende abolir a Segunda Emenda da Constituição que prevê o direito de porte de arma.

Nazis esperam conquistar mais espaço político

Entretanto, à medida que cresce à polémica à volta de Trump, aumentam também os apoios ao candidato xenófobo. O líder do partido nazi norte-americano, Rocky Suhayda, anunciou o seu apoio a Trump considerando que a vitória do candidato republicano será uma grande oportunidade para as causas defendidas pelo partido. “Eu acredito por várias razões que Trump vai vencer as eleições em novembro, mas não vale a pena referi-las. Agora, se Trump vencer será uma oportunidade real para as pessoas como os supremacistas brancos”, afirmou Rocky Suhayda durante um programa de rádio.

Rocky Suhayda sustentou ainda que os supremacistas brancos poderão começar a atuar de maneira inteligente para conseguirem apoio e maior peso político graças a Trump. “Irá surpreender o inimigo, porque eu penso que eles senstem que a classe trabalhadora branca, especialmente a parte masculina da classe operária – e com eles também elementos do sexo feminino – têm basicamente jogado a toalha, a esperança de qualquer político se levantar pelos seus interesses”, acrescentou.

O ex-líder da organização racista Ku Klux, David Duke, também já manifestou o seu apoio a Donald Trump, que tem defendido ideias xenófobos. Após ter ofendido a comunidade latina, nomeadamente os mexicanos de serem “traficantes” e “violadores”, o candidato republicano prometeu proibir temporariamente a entrada de muçulmanos no país.