Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia do Canadá mata homem considerado “ameaça terrorista”

  • 333

O jovem de 24 anos já tinha sido preso por publicar mensagens de apoio ao Estado Islâmico e, segundo informações da polícia, planeava um ataque iminente

Um jovem canadiano referido pelas autoridades como "uma ameaça terrorista potencial" foi abatido pelas forças de segurança de uma localidade perto de Ontário na noite de quarta-feira.

Segundo avançou esta manhã um membro da sua família à estação pública CBC, repetindo informações da polícia, o indivíduo de 24 anos foi abatido quando se preparava para acionar um engenho explosivo. Esta tarde, a BBC avançava que o homem planeava um ataque a ser realizado na 62 horas seguintes.

"Um suspeito foi identificado e as medidas adequadas foram tomadas, de modo a garantir que não havia nenhum perigo para a segurança pública", tinha declarado antes a polícia federal do Canadá, sem dar mais detalhes.

A polícia disse que tinha recebido uma "informação credível, indicando uma potencial ameaça terrorista".

Após a operação, o ministro de Segurança Pública do Canadá, Ralph Goodale, disse que "discutiu a situação com o primeiro-ministro, Justin Trudeau, para confirmar que a segurança pública foi devidamente protegida e que assim permanece".

"A polícia vai discutir os detalhes operacionais em tempo oportuno", acrescentou, sem querer confirmar a morte do suspeito.

Oriundo de Winnipeg (Manitoba), Aaron Driver tinha sido preso no ano passado por mensagens de apoio ao grupo radical Estado Islâmico publicadas nas redes sociais, mas foi libertado em fevereiro e colocado sob controlo judicial rigoroso, segundo a imprensa local citada pela AFP.

O jovem estava proibido de deixar a pequena localidade de Strathroy, a 30 quilómetros a oeste de London (Ontário), onde a polícia interveio acompanhada de uma unidade do exército, segundo imagens difundidas na noite de quarta-feira.

Aaron Driver conseguiu acionar um primeiro engenho explosivo que lhe causou ferimentos e a outra pessoa e, quando se preparava para detonar o segundo engenho, foi abatido pela polícia, informou a estação pública.

Segundo a CTV News, que citou um documento confidencial, o jovem queria fazer explodir o engenho num local frequentado por muitas pessoas, como um aeroporto ou um centro comercial.

O suspeito estaria a ser seguido pelos serviços de informação canadianos desde 2014, após ataques sucessivos no Quebec e na capital federal do Canadá, Otava, perpetrados por jovens radicalizados. Dois membros das forças armadas foram mortos.

Notícia atualizada às 19h03