Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentado bombista provoca 42 mortos em hospital do Paquistão

  • 333

BANARAS KHAN

O ataque ainda não reivindicado aconteceu na zona de urgências do hospital de Quetta, à mesma hora em que chegava ao edificio o corpo de Bilal Anwar Kasi, um famoso advogado do Baluchistão morto a tiro esta madrugada

Um ataque à bomba contra um hospital de Quetta, no sudoeste do Paquistão, provocou esta segunda-feira pelo menos 42 mortos e dezenas de feridos, à entrada do departamento de urgências, durante a chegada do corpo de um proeminente advogado do país que foi abatido a tiro durante a madrugada. Entre os mortos e feridos contam-se jornalistas e advogados que acompanhavam o corpo de Bilal Anwar Kasi.

Logo a seguir à explosão foram ouvidos tiros nas imediações do hospital, não sendo para já claro quem levou a cabo este ataque nem se ainda estará a decorrer. A polícia paquistanesa diz suspeitar que um bombista-suicida se fez explodir no local, sem avançar mais pormenores.

Kasi, que presidia à Associação de Advogados do Baluchistão, foi morto a tiro à saída do complexo da Justiça em Quetta, noticia a televisão local Geo TV. No canal estatal, o primeiro-ministro paquistanês condenou os dois ataques. "Ninguém será autorizado a perturbar a paz da província", garantiu Nawaz Sharif. "A população, os políticos e as forças de segurança do Baluchistão já se sacrificaram demasiado por este país."

A cidade de Quetta tem sido palco de uma série de homicídios aparentemente ligados a tensões sectárias acrescidas e ao movimento separatista do Baluchistão, a maior província do Paquistão, que representa 43% da área geográfica do país. Entre aqueles que foram mortos nas últimas semanas contam-se vários advogados como Kasi, noticia a BBC.