Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Queniano acusado de amputar as mãos da mulher

  • 333

Organizações de direitos humanos frisam que o caso é particularmente chocante e que é preciso mostrar “tolerância zero” em relação à violência infligida sobre mulheres e meninas no país

Jackline Mwende Ngila disse esta terça-feira esperar que o seu marido seja condenado a prisão perpétua por lhe ter amputado as mãos com um machado e tentado matar, num ato de raiva por ela supostamente não lhe poder dar filhos.

Stephen Ngila foi detido e acusado dos crimes cometidos a 25 de julho numa aldeia do condado de Machakos, a sudeste da capital, Nairóbi.

Jackline referiu que os testes, que ambos efetuaram quando estavam casados há quatro anos, revelaram que os problemas de fertilidade residiam no marido, mas que este não compareceu nos tratamentos que era suposto ter efetuado, e que entretanto a relação entre os dois se deteriorou. O casal já estaria separado quando o crime foi cometido.

Jackline disse que Stephen estava embriagado quando lhe disse que “hoje é o teu último dia” e a atacou na casa dos seus país.

“Este é um caso particularmente chocante para o Quénia”, afirmou Naitore Nyamu da organização humanitária “Equality Now” (“Igualdade Agora”). “Nós não podemos permitir que os perpetradores ajam com impunidade, o que tem por vezes sido o caso aqui nos últimos anos”, acrescentou, nas declarações citadas pela agência Associated Press.

A responsável referiu ainda que mesmo dentro do quadro da crescente onda de violência doméstica no país este caso se destacou e que é preciso mostrar tolerância zero.