Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

McCain diz que a nomeação não é uma “licença” para Trump difamar qualquer um

  • 333

GETTY

Os comentários pejorativos do candidato republicano às presidenciais, sobre os pais de um soldado americano muçulmano morto em 2004 no Iraque, geraram diversas reações de indignação dentro do partido.

O senador republicano John McCain criticou fortemente esta segunda-feira Donald Trump, afirmando que a nomeação que recebeu do Partido Republicano não lhe confere “uma licença sem restrições para difamar aqueles que são os melhores entre nós”.

Os pais de Humayun Khan - um soldado norte-americano que morreu no Iraque em 2004, com 27 anos, devido à explosão de um carro armadilhado - participaram no congresso do Partido Democrata.

Num discurso emocionado , Khizr Kahn declarou então que o seu filho nem teria estado na América se o país tivesse seguido a ideia defendida do candidato republicano de banir a entrada de muçulmanos.

Trump viria depois a reagir, sugerindo que, apesar de também ter estado presente na convenção, a mãe do soldado não terá tido autorização para falar.

Após deputados democratas e o pai do soldado terem apelado aos membros do Partido Republicano para repudiarem as declarações de Trump, McCain disse esta segunda-feira que “não pode enfatizar suficientemente” o quanto “discorda” das palavras de Trump. “Eu espero que os americanos percebam que aqueles comentários não representam a visão do nosso Partido Republicano”, acrescentou.

No ano passado Trump criticou fortemente McCain afirmando que ele não seria um herói de guerra uma vez que foi capturado durante a guerra no Vietname.

As declarações de Trump sobre os familiares do soldado americano morto no Iraque suscitaram também reações de outros membros do seu partido.

A senadora Kelly Ayotte de New Hampshire, cujo marido é um veterano da guerra no Iraque, disse estar “aterrorizada” com as declarações. O senador Roy Blunt do Missouri afirmou: “Os Khan fizeram o maior sacrifício possível pelo nosso país; eles merecem ser ouvidos e respeitados”.

Apesar disso, o candidato republicano voltaria esta segunda-feira a tecer mais comentários sobre o assunto, escrevendo no Twitter que “o senhor Khan, que não me conhece, atacou-me de modo vil”e considerando que o assunto está a ter demasiado destaque nos media.