Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Kareem Abdul-Jabbar na convenção democrata: je suis Michael Jordan

  • 333

Lenda da NBA, a liga profissional de basquetebol norte-americano, subiu ao palco da convenção democrata e afundou o discurso xenófobo de Donald Trump

Nasceu e foi batizado Ferdinand Lewis Alcindor no longíquo ano de 1947 mas em 1968 converteu-se ao islamismo. Na noite passada, Kareem Abdul-Jabbar, ex-estrela da NBA, subiu ao palco da convenção democrata e, dirigindo-se aos presentes, apresentou-se assim: “Olá a todos. Eu sou Michael Jordan e estou aqui para apoiar a Hillary. Digo isto porque sei que Donald Trump não sabe a diferença”.

Foi humor, mas muito sério: Kareem Abdul-Jabbar atacou o racismo e preconceito religioso que identifica no candidato republicano. A forma como o antigo basquetebolista se apresentou na convenção tornou-se um dos momentos mais marcantes da reunião política dos democratas.

Num longo artigo de opinião publicado na “Aljazeera America” em março do ano passado, Kareem Abdul-Jabbar explicou o que o levou a converter-se ao islamismo.

“A transição de Lew para Kareem não foi uma mera mudança na designação de uma marca célebre, mas uma transformação vinda do coração, da mente e da alma. Já fui Lew Alcindor, um pálido reflexo daquilo que a América branca esperava de mim. Agora, sou Kareem Abdul-Jabbar, a manifestação das minha origens africanas, cultura e crenças”, escreveu um dos maiores jogadores de basquetebol de todos os tempos.

No final do ano passado, em comunicado divulgado através do Twitter, o candidato republicano Donald Trump defendeu um bloqueio “completo e total” à entrada de muçulmanos nos EUA, tanto a migrantes como a turistas.