Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Photochoque. Assim se protesta contra a violência policial na Caxemira indiana

  • 333

DR

O popular programa de edição de fotografias, Photoshop, tantas vezes utilizado para embelezar, serviu agora para mostrar como ficariam os rostos de figuras públicas se fossem atingidos com os chumbos disparados pelas forças paramilitares indianas

Um grupo separatista paquistanês da Caxemira indiana lançou uma original campanha no Facebook com o objetivo de alertar a opinião pública mundial para os dramáticos efeitos dos ferimentos provocados pelos chumbos, frequentemente usados pelas forças paramilitares na repressão de manifestações nesta conturbada região.

Recorrendo ao popular programa de edição de imagem, Photoshop, tantas vezes usado para embelezar, estes paquistaneses manipularam fotografias dos rostos do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, do dono do Facebook, Mark Zuckerberg, entre muitas outras figuras públicas (sobretudo atores), com o objetivo de mostrar como ficariam se tivessem sido atingidos com este tipo de munições.

A morte às mãos da polícia e do Exército indiano, a 8 de julho, em Kokernag, de Burhan Wani, de 21 anos, um dos rostos mais conhecidos do grupo separatista Hizb-ul-Mujahideen, desencadeou mais uma vaga de protestos violentos na Caxemira indiana. Os confrontos entre manifestantes e forças de segurança em Srinagar provocaram a morte a mais de 20 pessoas e deixaram feridas cerca de 200.

A região de Caxemira está dividida entre a Índia e o Paquistão desde a independência dos dois países em 1947. Ambos reclamam a soberania sobre este território, cenário de confrontos frequentes entre grupos rebeldes e forças governamentais desde 1989, dos quais resultaram milhares de mortos.