Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caminhar 60 minutos por dia anula efeitos nocivos de passar horas sentado à secretária

  • 333

GERARD JULIEN

Problemas cardiovasculares e vários tipos de cancro são as duas maiores causas de morte prematura diretamente ligadas ao estilo de vida sedentário

Um estudo aprofundado sobre a melhor forma de combater o sedentarismo, publicado em quatro partes na revista médica especializada “The Lancet” em antecipação dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, aponta que uma hora de atividade física moderada por dia é suficiente para cancelar os efeitos potencialmente fatais de passar dias inteiros sentado atrás da secretária a trabalhar ou no sofá a ver televisão.

Os cientistas que estão a analisar dados compilados em 16 investigações distintas, sobre o estilo de vida de milhões de homens e mulheres dos Estados Unidos, Europa Ocidental e Austrália, com 45 anos de idade ou mais velhos, dividiram os participantes em quatro grupos do mesmo tamanho de acordo com os seus níveis de atividade física — apurando, em primeiro lugar, que ficar sentado mais de oito horas por dia sem qualquer exercício físico aumenta significativamente o risco de morte prematura, sobretudo por doenças cardiovasculares e diferentes tipos de cancro, que são as duas maiores causas de morte por sedentarismo.

As pessoas que integraram o grupo dos que menos exercício fazem, que inclui milhares de funcionários de escritório, enfrentam até 60% de probabilidade acrescida de morrerem prematuramente. Mas o risco aumentado de morte associado à falta de atividade física parece ser totalmente eliminado quando se caminha ou anda de bicicleta pelo menos uma hora por dia, apontam os autores da investigação, lembrando que até uma visita ocasional à máquina de café ou ao bebedouro do escritório podem ajudar a reduzir os efeitos nocivos de se passar o dia sentado.

“Descobrimos que pelo menos uma hora de atividade física por dia, por exemplo uma caminhada ou um passeio de bicicleta, elimina a associação entre o estar sentado e morrer [prematuramente]”, aponta Ulf Ekelund, líder da equipa de cientistas da Universidade de Cambridge e da Escola Norueguesa de Ciências do Desporto responsável pelo estudo. “As pessoas não precisam de praticar desporto, nem de ir ao ginásio. É suficiente fazer uma caminhada durante a manhã ou à hora do almoço ou depois do jantar. Até podem dividir essa caminhada em várias partes ao longo do dia, mas tem de ser pelo menos uma hora de passeio” a cada 24 horas.

Para quem passa o dia sentado por motivos laborais, Ekelund lembra a importância de esticar as pernas de vez em quando, para criar atividade física que compense os longos períodos sem qualquer exercício. “Tirem cinco minutos a cada hora para irem ao escritório do lado, para subirem as escadas até à máquina do café ou para irem à impressora. Construam uma atividade física no vosso dia-a-dia, é possível. Tentem fazer caminhadas ou usem transportes que envolvam atividade quando vão para o trabalho e no regresso a casa.”