Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Autoridades francesas identificam segundo suspeito de ataque a igreja da Normandia

  • 333

STRINGER

Autoproclamado Estado Islâmico divulga vídeo dos dois franceses que mataram o padre Jacques Hamel na sua igreja em Saint-Etienne-du-Rouvray, na terça-feira de manhã, a jurarem fidelidade ao líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi

O Daesh divulgou um vídeo que alegadamente mostra os dois franceses que degolaram esta terça-feira um padre dentro da sua igreja na Normandia a jurarem fidelidade ao grupo radical e ao seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi.

No vídeo, publicado na internet pela agência de propaganda do autoproclamado Estado Islâmico, a Amaq, e disseminado nas redes sociais, os dois homens apresentam-se como Abu Omar e Abu Jalil al-Hanfai, os seus nomes de guerra, e dizem prestar "obediência" a Baghdadi, com um deles a mostrar uma folha onde está impressa a bandeira negra do Daesh.

Jacques Hamel, que era padre da pequena localidade de Saint-Etienne-du-Rouvray há várias décadas, foi obrigado a ajoelhar-se dentro da sua igreja na terça-feira de manhã, à hora da missa, e degolado por dois suspeitos militantes do Daesh, que fizeram cinco reféns, incluindo duas freiras, ferindo um deles com gravidade.

Uma das freiras, a irmã Danielle, foi quem relatou que os atacantes obrigaram o pároco a ajoelhar-se antes de lhe cortarem o pescoço. Um deles já foi identificado como Adel Kermiche, um francês de 19 anos que cresceu naquela localidade e que viajou até à Síria por duas vezes no ano passado usando documentos de identidade de membros da sua família.

Ao início da manhã desta quinta-feira, as autoridades francesas disseram estar perto de identificar o segundo suspeito do ataque à igreja da Alta Normandia. O homem surge ao lado de Kermiche, que no vídeo enverga um casaco camuflado e fala em árabe: "Juramos fidelidade e obediência ao emirado do fiel Abu Bakr al-Baghdadi nos tempos difíceis e nos bons."

Pelas 8h da manhã em Lisboa, a procuradoria francesa anunciou ter identificado o segundo autor do ataque como sendo Abdel Malik Petitjean, também de 19 anos, que estava a ser procurado pelas autoridades há vários dias. "Após testes de ADN, conseguimos identificar o terrorista", disse fonte do gabinete da procuradoria citado pelos media franceses. Petitjean, habitante no leste de França, já estava na lista de suspeitos de terrorismo.

Os dois suspeitos foram abatidos pela polícia no decorrer do atentado, que foi reivindicado pelo Daesh minutos depois de o Presidente francês, François Hollande, sublinhar que o grupo radical declarou guerra ao seu país e prometer que França vai lutar contra o grupo "usando todos os meios disponíveis". Aos jornalistas, o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, disse também na terça-feira que as autoridades já estão a trabalhar para protegerem 56 eventos de verão agendados até ao final da época, admitindo que alguns poderão ser cancelados.