Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jornadas Mundiais da Juventude começam em Cracóvia sob fortes medidas de segurança

  • 333

Espaço onde irá decorrer o encontro de jovens peregrinos, em Cracóvia, na Polónia

Stanislaw Rozpedzik

Milhares de jovens peregrinos católicos juntam-se entre esta terça-feira e domingo em Cracóvia, onde virá a estar o Papa Francisco. Mais de 40 mil agentes foram mobilizados para o local para garantir a segurança

A Polónia mobilizou mais de 40 mil homens para proteger centenas de milhares de jovens peregrinos que participam, a partir desta terça-feira e até domingo, nas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), em Cracóvia, na Polónia.

A organização do encontro mundial de jovens católicos espera receber entre um milhão e meio e dois milhões de jovens, mas as inscrições oficiais rondam as 360 mil, incluindo cerca de sete mil portugueses.

O governo destacou 20 mil agentes, incluindo 7.500 nas ruas, nove mil bombeiros, 800 elementos do serviço de proteção do executivo e 11 mil guardas de fronteira. As autoridades polacas mantêm há semanas um discurso tranquilizador. Por um lado, não existe qualquer perigo de atentado, por outro lado, estão a fazer tudo para impedir qualquer tentativa.

Depois do tiroteio de Munique (sul da Alemanha), do ataque de Nice (sudeste de França) e dos atentados de Paris e Bruxelas, toda a concentração importante de pessoas parece ser potencialmente um risco.

Além do dispositivo de segurança em Cracóvia e nos restantes locais que o papa vai visitar, a Polónia — que integra o espaço europeu Schengen de livre circulação — restabeleceu os controlos nas fronteiras comunitárias, nos portos e aeroportos, a 4 de julho, na véspera da cimeira da NATO e vai mantê-los até ao fim da JMJ.

Para facilitar as operações, os aeroportos de Cracóvia-Balice e Katowice-Pyrzowice vão contar, durante a JMJ, com guardas de fronteiras de Portugal e Itália (no primeiro) e da Bélgica e Espanha (no segundo).

O governo polaco não quis divulgar o custo da segurança destas JMJ, mas o projeto de orçamento para este ano, aprovado em setembro passado, incluía uma provisão especial de cerca de 23 milhões de euros.

As medidas de segurança foram também reforçadas nos locais de encontros com o papa Francisco, que vai chegar a Cracóvia na quarta-feira.