Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jogos Olímpicos: “Os atletas irão nadar literalmente em fezes humanas”

  • 333

Getty

Depois da falta de condições de segurança na aldeia olímpica a poluição na Baía de Guanabara, palco das provas de natação e vela dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

Se pensava que o maior risco para os atletas que vão competir nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro era a alegada falta de condições de segurança e higiene dos apartamentos da aldeia olímpica, então está completamente enganado. Todos aqueles que terão de entrar em contacto com as águas da baía de Baía de Guanabara, por exemplo, poderão correr riscos igualmente delicados.

O alerta partiu dos próprios especialistas em saúde pública brasileiros que à reportagem do “The New York Times” deixam o alerta e um conselho a nadadores e velejadores: “dentro de água mantenham a boca fechada”.

Conta o jornal norte-americano que apesar das sucessivas promessas governamentais dos últimos anos, muito pouco foi feito para tratar as águas residuais dos 12 milhões de habitantes da “cidade maravilhosa”.

Resultado: as águas do Rio estão muito mais contaminadas do que se pensava, revelaram os testes realizados recentemente por entidades governamentais e cientistas independentes onde foram detetadas do rotavírus (causador de diarreias e vómitos) a bactérias multirresistentes.

Rio Meriti em Duque de Caxias. Um dos cursos de água que despejam toneladas de lixo na Baía de Guanabara

Rio Meriti em Duque de Caxias. Um dos cursos de água que despejam toneladas de lixo na Baía de Guanabara

Getty

“Os atletas irão nadar literalmente em fezes humanas, e correm o risco de adoecer”, disse ao “The New York Times” Daniel Becker, um pediatra que trabalha sobretudo nos bairros mais pobres do Rio. “É triste mas também aterrador”, acrescentou.

O Comité Olímpico Internacional e o Governo brasileiro reconhecem que, em muitos locais, as águas da cidade têm problemas mas nas áreas onde os atletas vão competir, como por exemplo na Baía de Guanabara, estão a ser respeitadas as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Dizem mesmo que o risco é mínimo porque os velejadores terão um contacto limitado com a água.

Porque mais vale prevenir, Afrodite Zegers, velejadora da seleção holandesa que já está a treinar na Baía de Guanabara segue à risca as recomendações dos especialistas em saúde pública brasileiros: “Temos de manter as bocas fechadas quando somo salpicados”, resume a atleta de 24 anos.

  • Portugal encontra apartamentos sujos e sem água nos Jogos Olímpicos

    Brasil recebe primeiros atletas com instalações sujas e incompletas. Australianos, neozelandeses e britânicos foram os primeiros a denunciar problemas de canalização, sujidade e insegurança. Portugueses também foram vítimas e chefe de missão fala em necessidade de superação olímpica para ultrapassar falhas de organização

  • Jogos Olímpicos: Deus deixou de ser brasileiro?

    A política brasileira está um desastre. A economia do Rio de Janeiro está calamitosa. As águas estão poluídas. E estes são apenas os problemas simples: o zika é uma incógnita, a insegurança uma certeza. Dois minutos e 50 segundos para explicar o que se passa com os Jogos Olímpicos