Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Avião movido a energia solar completa primeira volta ao mundo

  • 333

Getty Images

O Solar Impulse II, que aterrou esta madrugada em Abu Dhabi, é o primeiro avião alimentado a energias renováveis e não a combustíveis fósseis que consegue completar uma volta inteira ao globo terrestre

O avião Solar Impulse II, o primeiro aparelho aéreo movido exclusivamente a energia solar, completou esta madrugada a volta ao mundo que tinha iniciado em março de 2015.

O avião aterrou em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, às 04h05 locais (01h05 desta madrugada em Lisboa), de onde partira a 9 de março do ano passado para uma vigem inédita de mais de 40 mil quilómetros, passando por quatro continentes, que foi concluída sem usar qualquer combustível fóssil.

“Este é um momento muito especial para nós, completámos esta viagem, passo a passo, e estamos muito emocionados com a chegada a Abu Dhabi”, disse à agência espanhola EFE André Borschberg, um dos dois pilotos do Solar Impulse II. Na última etapa, entre o Cairo e Abu Dhabi, o avião foi pilotado por Bertrand Piccard.

CRISTINA QUICLER

“É um momento muito, muito especial, passei 15 anos a trabalhar para este objetivo”, declarou o piloto suíço ao “The Guardian” a partir do cockpit, pouco antes da aterragem. “Espero que as pessoas entendam que isto é inédito da história da aviação, mas que é inédito na história da energia. Todas as tecnologias limpas que usámos podem ser usadas em qualquer parte. Voámos 40 mil quilómetros, mas agora está a cargo de outras pessoas levarem isto mais adiante. Depende de cada pessoa em cada casa levar isto adiante, de cada chefe de Estado, de cada autarca, de cada empresário ou CEO de uma empresa. Estas tecnologias podem tornar o mundo muito melhor e temos de as usar, não só pelo ambiente, mas também porque são rentáveis e criam empregos.”

O Solar Impulse II tem uma envergadura mais ampla que um Boeing 747 e conseguiu manter-se no ar durante 23 dias graças às mais de 17 mil células fotovoltaicas instaladas nas suas asas. Durante o dia, esses painéis solares carregam as baterias do avião, que correspondem a um quarto das 2,3 toneladas de peso total do aparelho.

Para conservar a energia durante esta primeira viagem, os pilotos subiam 29 mil pés durante o dia e desciam até aos 5 mil pés durante a noite. O avião tem capacidade para voar a uma velocidade de quase 50 km/h, embora possa viajar mais depressa se o sol estiver a brilhar.