Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Conflito no Afeganistão matou nove civis por dia (incluindo crianças) em meio ano

  • 333

SHAH MARAI/GETTY

É o valor mais alto desde 2009

A missão das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) alertou esta segunda-feira para o "número recorde de vítimas civis" no país no primeiro semestre do ano. A UNAMA precisa, num relatório, que foram registados 1601 mortos civis (nove por dia) e 3565 feridos nos primeiros seis meses do ano, mais 4% do que no mesmo período de 2015, e que "um terço das vítimas são crianças", das quais 388 morreram.

Segundo a missão da ONU, estes números são os mais elevados desde 2009, quando começou a fazer a contagem das vítimas civis do conflito no Afeganistão.

O relatório refere que 60% foram vítimas de ações dos insurgentes, 23% das tropas afegãs, 2% de grupos armados pró-governamentais e 1% das forças internacionais. Há ainda 13% de vítimas de várias partes e 4% de explosivos abandonados.

A UNAMA realça que as vítimas de ações insurgentes diminuíram 11%, mas as causadas pelas forças afegãs aumentaram 47%.

A missão da ONU refere ainda o aumento de 110% das vítimas de operações aéreas, que fizeram 57 mortos e 104 feridos.

O exército do Afeganistão tem aumentado a sua capacidade aérea e pela primeira vez desde 2009 as vítimas de operações das forças aéreas afegãs (111) são mais do que as causadas pelas forças estrangeiras (50).

O relatório manifesta também preocupação com o crescente número de vítimas civis do Daesh: 122 face a 13 no primeiro semestre do ano passado.

Desde 2009, a UNAMA contabilizou 22.941 civis mortos e 40.933 feridos no Afeganistão.