Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

15 horas na fila de trânsito para chegar a Dover

  • 333

MARKUS SCHOLZ

O controlo reforçado da polícia na fronteira francesa e o grande fluxo de pessoas em férias está a criar longas filas, com até 15 horas de espera debaixo do sol, de automobilistas britânicos que pretendem passar pelo porto de Dover, em Inglaterra. Uma organização humanitária ajudou a distribuir 5800 garrafas de água.

O controlo reforçado da polícia na fronteira francesa e o grande fluxo de pessoas em férias está a criar longas filas, com até 15 horas de espera debaixo de sol, de automobilistas britânicos que pretendem passar pelo porto de Dover, em Inglaterra.

As filas de carros a perder de vista ao longo da costa de Kent, no sudeste de Inglaterra, transformou-se na imagem mais transmitida da manhã de hoje pelas televisões britânicas.

O porto de Dover é o ponto de passagem privilegiado das pessoas em férias que pretendem apanhar o ferry para atravessar o canal da Mancha até Calais ou Dunquerque, no norte da França, quando não utilizam o Eurotunel, em Folkestone.

Entretanto, desde sexta-feira à noite, a partida para as férias transformou-se num pesadelo devido aos engarrafamentos intermináveis causados pelo afluxo de automobilistas e "uma segurança reforçada" da polícia na fronteira francesa, indicou hoje a polícia de Kent num comunicado.

O gestor da rede rodoviária Highways England, precisou que os controlos das autoridades francesas são destinados a assegurar um nível de segurança satisfatório "na sequência dos recentes atentados em França".

Segundo o porto de Dover, o dispositivo de segurança na fronteira francesa sofre de uma "grave falta de efetivos" e o deputado por Dover, Charlie Elphicke, acusou o Governo britânico de não ter antecipado essa situação.

"Sabemos que as perturbações são excecionais (...), mas a segurança é primordial", respondeu o Ministério do Interior britânico, num contexto de forte medo na Europa por causa do risco de ataques.

O ministério britânico acrescentou que as autoridades britânicas irão ajudar os seus homólogos franceses.

Nas rodovias, os automobilistas tentam ficar calmos, apesar das horas que têm de aguardar para apanhar o ferry. Para ajudar, a organização humanitária Khalsa Aid colocou voluntários para distribuir 5.800 garrafas de água.

Com a saída do Reino Unido da União Europeia, já foi colocada a questão de como será, daqui para frente, a questão das fronteiras.