Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tribunal de Hong Kong declara Joshua Wong culpado de reunião ilegal

  • 333

Joshua Wong, um dos jovens acusados, à porta da esquadra de Wanchai, em Hong Kong, no mês passado

JEROME FAVRE/ EPA

Jovem de 19 anos cuja detenção alimentou, em parte, os enormes protestos pró-democracia da ilha em dezembro de 2014 enfrenta cinco anos de prisão

Joshua Wong, um dos jovens estudantes que organizou os protestos de dezembro de 2014 em Hong Kong por mais democracia na ilha, batizados Revolução dos Guarda-Chuva, foi declarado culpado esta quinta-feira de participar numa reunião ilegal.

Wong e dois outros jovens ativistas estavam a ser julgados por terem subido uma cerca e entrado num complexo governamental a 26 de setembro de 2014. As suas detenções foram um dos gatilhos dos protestos em massa que encheram o centro de Hong Kong no final de 2014 e nos primeiros meses de 2015.

O movimento que lideraram exige menos intromissão da China na política da ilha semiautónoma e que autorize eleições democráticas livres. Atualmente, o Governo de Hong Kong é escolhido por um comité de 1200 membros que é, na sua maioria, pró-Pequim.

Wong, de 19 anos, enfrenta até cinco anos de prisão. Alex Chow, um dos outros ativistas que enfrentam prisão, foi declarado culpado do mesmo crime e Nathan Law foi considerado responsável de incitar outros a participarem numa reunião ilegal.

Todos foram libertados sob fiança e vão aguardar em liberdade pela leitura das sentenças, no próximo dia 15 de agosto. Se o tribunal decidir condená-los às penas de prisão previstas na lei para os crimes de que são acusados, tal poderá marcar o reacender do movimento pró-democracia, que foi em larga medida suprimido pelas autoridades de Hong Kong.