Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Filipinas acusam China de “ameaças de confronto” no Mar do Sul da China

  • 333

Dondi Tawatao

Ministro filipino dos Negócios Estrangeiros diz ter recusado proposta da China para dar início a conversações bilaterais porque Pequim se recusa a discutir sentença de tribunal internacional que anula quase todas as reivindicações de soberania da China

O ministro dos Negócios Estrangeiros das FIlipinas recusou uma proposta feita pela China para que os dois países dessem início a conversas bilaterais sobre o Mar do Sul da China porque, diz Perfeito Yasay, a pré-condição apresentada por Pequim é que não se discuta a sentença do Tribunal Permanente de Arbitragem, que há uma semana anulou quase todas as reivindicações de soberania da China sobre o território marítimo e as ilhas daquele corredor marítimo.

"Eles dizem que, se nós insistirmos na [questão da] sentença, discutindo isto com base nela, então que estaremos a encaminhar-nos para um confronto", acusou Yasay em entrevista ao canal ABS-CBN. O ministro filipino pareceu, ainda assim, desvalorizar a ameaça de confrontações. "Honestamente sinto que isto é algo que eles têm de fazer numa base pública mas também sinto que haveria forma de falarmos muito calmamente através de corredores oficiosos."

O ministro filipino encontrou-se com o homólogo chinês, Wang Yi, este fim-de-semana, à margem de uma cimeira de líderes asiáticos e europeus, naquele que foi o primeiro contacto direto entre representantes dos dois países desde que o tribunal internacional com sede em Haia ditou não existirem provas da soberania de Pequim sobre as águas e recursos daquele corredor do oceano Pacífico e que, por isso, o país está a violar os direitos das Filipinas.

O aliado dos EUA levou o caso à Justiça internacional acima de tudo pelos direitos dos seus pescadores a explorarem as enormes reservas piscatórias de Scarborough Shoal que servem de sustento às várias populações da região. Pequim recusa-se a aceitar a decisão judicial, dizendo que o caso foi uma farsa e garantindo que não vai alterar a sua postura ou reivindicações de soberania sobre o Mar do Sul da China.

Segundo Yasay, a sua proposta de negociações bilaterais sobre o Mar do Sul da China foi quase totalmente rejeitada por Yi, que lhe terá dito que só aceita conversações sobre assuntos "fora do âmbito da sentença arbitral ou que vão contra esta".

A sentença anunciada há uma semana define os direitos marítimos de Manila sobre o Mar do Sul da China, apontando que direitos das Filipinas à luz da lei internacional é que foram violados por Pequim, incluindo através da construção em massa de ilhas artificiais no recife Mischief, que é reivindicado pelas Filipinas.

Desde que a sentença foi divulgada, a Guarda Costeira chinesa tem alegadamente impedido que barcos filipinos de pesca se aproximem de Scarborough Shoal, com a força aérea chinesa a divulgar fotografias recentes de bombardeiros a sobrevoar a área.