Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Homem que matou três agentes da polícia em Baton Rouge era marine que serviu no Iraque

  • 333

Mark Wallheiser

Em discurso à nação, Barack Obama pede calma a todas as partes e diz que ataque aos agentes da autoridade "é um ataque a todos nós"

O homem que matou três agentes da polícia e feriu outros três, um deles com gravidade, em Baton Rouge, no estado do Louisiana, foi identificado como Gavin Long, um afro-americano de 29 anos residente na Cidade do Kansas, no Missouri, um marine medalhado que esteve cinco anos destacado no Iraque antes de receber uma dispensa honrosa das forças armadas.

Antes de levar a cabo o ataque, Long publicou vídeos no YouTube a queixar-se do tratamento de americanos negros pela polícia, declarando num deles que se "alguma coisa acontecesse", as pessoas deviam saber que "não era filiado" a qualquer grupo. "Sou afiliado com o espírito da justiça, nada mais nem nada menos. Tenho os meus próprios pensamentos e tomo as minhas próprias decisões."

Ao cair da noite em Washington, já na madrugada desta segunda-feira em Lisboa, Barack Obama discursou à nação para condenar o ataque que provocou a morte de três agentes e feriu outros três, um deles com gravidade. "Independentemente do motivo, a morte destes três agentes corajosos sublinha o perido que a polícia enfrenta todos os dias em todo o país e nós, como nação, temos de sdizer alto e bom som que nada justifica a violência contra as autoridades", declarou o Presidente numa transmissão em direto. "Precisamos de medir as nossas palavras e abrir os nossos corações, todos nós."

As tensões em Baton Rouge e em várias outras cidades estão em alta há mais de dez dias, desde que dois agentes da polícia abateram Alton B. Sterling, um americano negro desamardo que estava a vender CD naquela cidade. A morte de Sterling e, horas depois, o abate de Philando Castile, outro afro-americano, no estado do Minnesota, durante uma operação stop, gerou protestos em todo o país — com uma delas, em Dallas, no Texas, a terminar com um ataque semelhante ao que Long levou a cabo no domingo.

A 7 de julho, horas depois de milhares de pessoas terem marchado pacificamente pelas ruas de Dallas num dos vários protestos organizados pelo movimento Black Lives Matter a nível nacional, um homem entretanto identificado como Micah Johnson instalou-se num piso elevado de um parque de estacionamento do centro e fez uma emboscada a agentes da polícia, matando cinco deles a tiro e ferindo outros seis.

Johnson, negro de 25 anos, era um soldado do exército que também tinha sido dispensado das forças armadas após servir no Afeganistão e que, tal como Long e milhares de ouros membros da minoria negra dos EUA, também se queixava do tratamento discriminatório de afro-americanos pelas autoridades do país.