Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ministro francês apela aos cidadãos para se tornarem reservistas

  • 333

CHRISTOPHE PETIT TESSON / EPA

O ministro do Interior de França, Bernard Cazeneuve, apelou este sábado a “todos os cidadãos patrióticos que o desejem” a tornar-se reservistas para aumentar a segurança após o atentado de quinta-feira em Nice

O ministro do Interior de França, Bernard Cazeneuve, apelou este sábado a “todos os cidadãos patrióticos que o desejem” a tornar-se reservistas para aumentar a segurança após o atentado de quinta-feira em Nice. Os “reservistas operacionais” de França incluem cidadãos franceses com ou sem experiência militar, assim como antigos soldados.

“Quero apelar a todos os franceses patriotas que o desejem a juntar-se à reserva operacional”, disse Cazeneuve. Atualmente, a reserva operacional inclui 12.000 voluntários, 9.000 dos quais estão na polícia paramilitar e 3.000 na polícia regular, disse Cazeneuve.

Cazeneuve disse que a presença das forças de segurança será reforçada em todo o país. E informou que o número de agentes das forças de segurança mobilizados para proteger a população é de quase 100 mil, incluindo 53 mil polícias, 36 mil agentes da polícia paramilitar e 10 mil soldados.

Na sexta-feira, o presidente francês, François Hollande, disse que apelaria a todos para reforçassem as fileiras da polícia e da guarda.

Na quinta-feira à noite, um camião avançou durante dois quilómetros sobre uma multidão na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), em Nice, que estava a assistir ao fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e 202 feridos. Pelo menos um cidadão português ficou ferido no ataque, confirmou o Governo. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas consideraram estar-se perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado. O grupo extremista Estado Islâmico reclamou este sábado a autoria do atentado.