Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Chefe das Forças Armadas turcas levado para lugar seguro

  • 333

YASSER AL-ZAYYAT/GETTY

O general Hulusi Akar foi resgatado este sábado depois de uma operação lançada na base aérea de Akinci, em Ancara, na sequência da tentativa de golpe de Estado. Procuradoria turca avança pelo menos 90 mortos e mil feridos

As forças de segurança turcas resgataram o chefe das Forças Armadas numa operação em Ancara, depois da tentativa de golpe de Estado, que fez pelo menos 60 mortos, e levaram-no para um lugar seguro, noticiou a CNN-Turk.

O general Hulusi Akar foi resgatado depois de uma operação lançada na base aérea de Akinci, a noroeste da capital, segundo a cadeia televisiva privada.

Informações divulgadas anteriormente pelos meios de comunicação social indicavam que o general havia sido feito refém no início da tentativa de golpe de Estado, posta em marcha na sexta-feira à noite.

Depois de o Presidente turco ter afirmado desconhecer o seu paradeiro, mas sob a suspeita de que o general tinha sido feito refém, o primeiro-ministro, Binali Yildirim, anunciou a nomeação de Ümit Dündar como novo chefe das Forças Armadas interino.

Segundo a agência noticiosa pró-governamental Anadolu, 1563 militares foram detidos por estarem ligados à tentativa de golpe de Estado, que o governo já disse que fracassou, e cinco generais e 29 coronéis foram demitidos das suas funções.

O Governo e os serviços secretos dão há horas a tentativa de golpe como fracassada, embora admitindo que permanecem bolsas de resistência.

Segundo o mais recente balanço, feito pela Procuradoria turca, pelo menos 90 pessoas morreram esta noite no país no decurso da tentativa de golpe. Entre os mortos estão 17 polícias, vítimas de um ataque em Gölbasi, em Ancara, a um edifício de uma unidade de elite policial.