Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Duas crianças entre os quatro migrantes mortos ao largo de Lesbos

  • 333

GIORGOS PAPADOPOULOS / EPA

Na embarcação saída da costa turca e que se afundou já próximo da ilha grega viajavam 11 pessoas. Seis foram resgatadas com vida e uma continua desaparecida

Os corpos de quatro pessoas, entre as quais duas crianças, foram resgatados esta manhã pelas autoridades gregas ao largo da ilha de Lesbos, depois do naufrágio de uma embarcação em que seguiam 11 migrantes, indicou a polícia portuária.

Seis pessoas foram resgatadas sãs e salvas e uma outra é dada como desaparecida, de acordo com a mesma fonte, citada pela agência France Presse.

"A guarda costeira resgatou no total quatro corpos, entre os quais o de uma menina de quatro anos e de um rapaz com idade ainda não determinada, o de um homem e o de uma mulher, a meia milha ao largo da costa sul de Lesbos", indicou à AFP uma responsável do gabinete de imprensa da polícia portuária grega.

De acordo com as declarações dos migrantes resgatados, cuja nacionalidade não foi revelada, havia um total de "onze pessoas" na embarcação saída da costa turca e que se afundou já próximo da ilha grega.

As autoridades gregas continuam as buscas para encontrar a pessoa dada como desaparecida.

Mais de um milhão de pessoas chegou à Europa no ano passado, principalmente através de ilhas do mar Egeu, como Lesbos, que se tornou na principal porta de entrada no continente.

O acordo entre a União Europeia e a Turquia, assinado em 20 de março último, quase interrompeu o fluxo de migrantes por esta via. O principal fluxo de migrantes para a Europa parte agora das costas da Líbia com destino a Itália.

Desde o início do ano, 2942 pessoas morreram no Mediterrâneo, número que compara com 1838 nos primeiros seis meses de 2015, de acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).