Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Identificado atirador que matou cinco polícias em Dallas

  • 333

RALPH LAUER/EPA

Trata-se de Micah Johnson, de 25 anos. Segundo a CNN e o “New York Times”, que citam um oficial da polícia, o atirador esteve na reserva do Exército norte-americano, vivia na cidade de Mesquite, no Texas, e não tinha cadastro criminal. Três dos cinco polícias que morreram também já foram identificados

Helena Bento

Jornalista

O atirador responsável pela morte, na noite de quinta-feira, de cinco agentes da polícia de Dallas, no Texas, foi identificado pela Associated Press como sendo Micah Johnson, um jovem de 25 anos. Segundo a CNN e o “New York Times”, que citam um oficial da polícia, o atirador esteve na reserva do Exército norte-americano entre março de 2009 e abril de 2015 - tendo servido no Afeganistão de novembro de 2013 a julho de 2014 - vivia em Mesquite (Texas) e não tinha cadastro criminal.

O ataque ocorreu na quinta-feira à noite, durante um protesto pacífico por causa da morte, esta semana, de dois afro-americanos às mãos da polícia, nos estados do Louisiana e Minnesota. Cinco polícias morreram e outros sete ficaram feridos. Das cinco vítimas mortais, foram já identificadas três: Brent Thompson, 43 anos, Patrick Zamarripa, 32 anos e Michael Krol, 40 anos. Dois civis tiveram também de ser socorridos, por apresentarem ferimentos. O tiroteio decorreu perto de Dealey Plaza, onde John F. Kennedy foi assassinado em 1963, no centro da cidade.

Além do atirador agora identificado, que foi abatido pela polícia (com uma bomba-robô), crê-se que tenham participado no ataque outras três pessoas, entre elas uma mulher afro-americana, que se encontram detidas. Em conferência de imprensa esta sexta-feira de manhã, David Brown, chefe da polícia de Dallas, disse que o atirador, enquanto estava barricado num edifício no centro da cidade, afirmou que estava a agir sozinho e que o seu objetivo era “matar brancos, sobretudo polícias”. “Ele disse que estava cansado do movimento Black Lives Matter [as vidas dos negros interessam, numa tradução livre], dos recentes tiroteios com polícias, dos brancos”, disse David Brown, citado pela BBC.

Em declarações anteriores, o chefe da polícia de Dallas disse que a sua equipa tentou negociar durante várias horas com o atirador, antes de recorrer à bomba-robô. Este, contudo, ter-se-á recusado a cooperar. “Ele disse aos homens que estavam responsáveis pelas negociações que o fim estava chegar, que iria magoar e matar mais polícias e que tinha colocado bombas no edifício e no centro da cidade. Não nos restava outra alternativa senão fazer detonar a bomba”, afirmou David Brown.

Obama decreta quatro dias de luto nacional

Barack Obama declarou quatro dias de luto nacional e a colocação das bandeiras a meia haste em sinal de luto pela morte dois cinco polícias. “Em sinal de respeito pelas vítimas do atentado contra agentes da polícia (…) em Dallas (Texas), ordeno que a bandeira dos EUA ondule a meia haste na Casa Branca e em todos os edifícios públicos” até 12 de julho, afirmou o Presidente norte-americano.

A bandeira norte-americana também será colocada a meia haste, em sinal de luto, em todas as representações diplomáticas e bases militares e navios dos Estados Unidos em todo o mundo.

[Notícia atualizada às 18h45]