Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cimeira da NATO promove reunião de líderes europeus e dos EUA

  • 333

MICHAELA REHLE/GETTY

Esta manhã reúnem-se em Varsósia os presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk, e da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker assim como do Presidente dos EUA, Barack Obama

O reforço de colaboração operacional, nomeadamente na cibersegurança e operações marítimas, entre a União Europeia (UE) e a NATO será esta sexta-feira oficializada, no primeiro de dois dias da cimeira bianual da Aliança do Atlântico Norte, em Varsóvia.

A declaração conjunta irá incluir as áreas das ameaças híbridas, coordenação de exercícios, além da cibersegurança, que em alguns aspetos poderá ser definida como área de guerra – a par do mar, do ar, da terra e do espaço – e o fortalecimento da cooperação na segurança marítima, que poderá passar por uma futura operação no mar Mediterrâneo.

Pela manhã decorrerá um encontro entre os líderes europeus e norte-americanos, estando confirmadas as presenças dos presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk, e da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, assim como do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Em cima da mesa estarão assuntos como o contraterrorismo, crescimento económico e a crise dos refugiados, esperando-se ainda que a vitória da opção saída, no referendo de 23 de junho, do Reino Unido da UE também surja nas conversas.

O primeiro-ministro português, António Costa, deverá chegar ao Estádio Nacional de Varsóvia, pelas 14h locais (13h de Lisboa), cerca de uma hora e meia antes da sessão de abertura do Conselho do Atlântico Norte.

A agenda desta sexta-feira inclui ainda um jantar de trabalho, enquanto no sábado a atenção começará por estar no Afeganistão e terminará na reunião NATO/Ucrânia, além da participação no conselho.

Esta é 26.ª cimeira da NATO, desde 1949, tendo a última decorrido em Gales em setembro de 2014.

As cimeiras têm a participação dos chefes de Estado e do Governo dos 28 membros da NATO e é presidida pelo secretário-geral da organização, que atualmente é Jens Stoltenberg.

A delegação portuguesa inclui ainda os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros, José Azeredo Lopes e Augusto Santos Silva, respetivamente.