Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grã-Bretanha vai ter uma primeira-ministra

  • 333

Os militantes do Partido Conservador vão escolher entre Theresa May e Andrea Leadsom

REUTERS

Theresa May, a eurocética que se juntou à campanha pela permanência na União Europeia, e a apoiante do Brexit Andrea Leadsom, são as duas mulheres que passaram esta tarde à votação final para a eleição do novo líder do Partido Conservador

Theresa May e Andrea Leadsom passaram na tarde desta quinta-.feira à votação final para a eleição de novo líder do Partido Conservador (a quem caberá também por inerência chefiar o Governo britânico), com os 199 e 84 votos que obtiveram, respetivamente. Para trás ficou Michael Gove, em terceiro lugar, com apenas 46 votos, tendo sido eliminado.

Deste modo, é certo que David Cameron, que se demitiu da liderança do partido e do cargo de primeiro-ministro em sequência da vitória do Brexit, será inevitavelmente substituído por uma mulher.

Apesar da ministra do Interior Theresa May continuar a surgir muito destacada, a votação final já não será feita apenas pelos deputados mas por todos os militantes conservadores, podendo eventualmente a ministra da Justiça Andrea Leadsom acabar por revelar-se mais popular entre as bases do partido.

Uma das grandes apoiantes do Brexit, Leadsom afirmou durante um dos comícios da campanha para o referendo que fora da União Europeia a Grã-Bretanha poderá vir a ser “uma das maiores Nações do Mundo”. Apesar de serem conhecidas as suas posições como eurocética, May acabou por juntar-se a Cameron na campanha pela permanência.

A campanha para a nova liderança dos conservadores irá prosseguir durante os meses de agosto e setembro. Os militantes irão votar até 2 de setembro e os resultados serão conhecidos até dia 9 desse mês.

  • Começam as “eliminatórias” na corrida ao lugar de David Cameron

    Ministra do Interior parte com avanço entre os 330 deputados conservadores, mas pode vir a enfrentar disputa renhida com o ministro da Justiça ou com a ministra da Energia. Aquele que dos cinco candidatos à liderança tory tiver menos apoios sai hoje da corrida, na primeira de quatro votações (a última pelos militantes) que conduzirão ao anúncio do próximo primeiro-ministro do Reino Unido até 9 de setembro