Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Messi e o pai condenados a 21 meses de prisão por fraude fiscal

  • 333

POOL

Ministério Público espanhol tinha pedido a absolvição do jogador, Fisco solicitou a condenação

O avançado do Barcelona Lionel Messi e pai Jorge Horacio Messi foram condenados esta quarta-feira, por um tribunal de Barcelona, a 21 meses de prisão por fraude fiscal. Respondiam ambos por terem lesado a fazenda pública em 4,1 milhões de euros em impostos não liquidados, relativos aos exercícios de 2007, 2008 e 2009.

Segundo a imprensa espanhola, apesar de terem pago o que era devido pelos montantes recebidos em contratos de direitos de imagem, Messi e o pai não deverão ter de cumprir prisão efetiva, já que foram condenados a uma pena inferior a dois anos.

Recorde-se que, durante as alegações finais, o Ministério Público pediu a absolvição do jogador por considerar que este teve uma intervenção “puramente formal” e limitava-se a seguir as indicações do pai. Para Jorge Horacio Messi, o procurador pediu 18 meses de prisão.

Já o defensor da Autoridade Tributária espanhola, a cargo da chamada “Abogacía del Estado”, tinha pedido 22 meses e 15 dias de reclusão para os dois arguidos. O advogado da família Messi defendera a absolvição do craque e do progenitor.

A família Messi já tinha depositado cinco milhões de euros à ordem do tribunal, num sinal de que estaria disposta a colaborar com a justiça liquidando todo e qualquer montante em dívida.

Durante o julgamento, o pai do jogador do Barça assumiu total responsabilidade pela gestão dos contratos de imagem do filho, bem como do cumprimento das inerentes obrigações fiscais, enquanto Messi assegurou que todos os seus negócios e assuntos económicos eram controlados por Jorge Horacio e que ele se dedicava exclusivamente a jogar futebol. “Confio cegamente no meu pai, não sei o que assino”, chegou mesmo a declarar a estrela do Barcelona durante as audiências.