Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Theresa May ganha mais apoios na corrida ao lugar de Cameron

  • 333

Dan Kitwood

Cinco candidatos à liderança do Partido Conservador, excluindo Boris Johnson, têm até terça-feira para montar rede de apoios entre os 329 deputados tories antes da primeira ronda de votações

A candidatura da atual ministra do Interior britânica à liderança do Partido Conservador ganhou novos apoios esta sexta-feira, incluindo de dois outros ministros do governo de David Cameron e do tablóide "Daily Mail".

De acordo com a BBC, tanto Michael Fallon como Patrick McLoughlin dizem que vão votar em Theresa May no processo de escolha da nova liderança do partido conservador, com vários outros deputados e pelo menos mais três membros do Executivo Cameron a prometerem-lhe o seu apoio.

May está a ganhar mais tração entre os 329 deputados conservadores do que qualquer dos outros membros do partido que estão a disputar o lugar deixado vago por David Cameron há precisamente uma semana — quando, no rescaldo do anúncio dos resultados do referendo, e com 52% da população britânica a votar a favor da saída da União Europeia, o primeiro-ministro apresentou a sua demissão.

Para além da ministra do Interior, candidatam-se ao cargo o ministro da Justiça, Michael Gove, o ministro do Trabalho e das Pensões, Stephen Crabb, o ex-ministro da Defesa, Liam Fox, e a secretária de Estado da Energia, Andrea Leadsom. Da lista não consta Boris Jonhson, o ex-autarca de Londres que liderou a campanha pelo Brexit e que, apesar de sempre ter aspirado ao lugar de Cameron, esta quinta-feira perdeu o importante apoio de Gove.

É esperado que esta sexta-feira Gove faça o seu primeiro discurso de campanha para se apresentar como o verdadeiro rival de May, depois do anúncio-surpresa da sua candidatura ontem.

Os cinco candidatos têm até terça-feira para montar uma rede de apoios entre os 329 deputados conservadores antes da primeira ronda de votações entre estes. O candidato com menos votos ficará pelo caminho nesse dia, com cada um dos restantes a serem eliminados, à vez, até restarem apenas dois.

A escolha entre os derradeiros estará a cargo dos militantes do partido tory. O vencedor deverá ser anunciado a 9 de setembro, assumindo de imediato funções como primeiro-ministro.