Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Uma das caixas negras do voo MS804 confirma que houve fumo a bordo

  • 333

Christoph Schmidt / EPA

Primeira análise ao Flight Data Recorder, que acabou de ser reparado esta semana em França, confirma suspeitas de fumo numa casa de banho e na área de software aviónico que fica por baixo do cockpit

A análise a uma das duas caixas negras do voo MS804 da EgyptAir pela equipa de investigação egípcia "confirma que houve fumo a bordo".

A suspeita de fumo tinha surgido pouco depois da queda do avião no mar Mediterrâneo a 19 de maio, quando mensagens eletrónicas automáticas emitidas pelo Airbus A320 mostraram que os detetores de fumo tinham sido ativados numa das casas de banho e na área de software aviónico que fica localizada por baixo do cockpit, pouco antes de o voo desaparecer dos radares.

Os dados registados pelo FDR, como velocidade, altitude e trajetória, são consistentes com essas mensagens, disseram os investigadores esta quarta-feira. O FDR e o Cockpit Voice Recorder (CVR) são conhecidos como as caixas negras de um avião.

Ambas foram recuperadas de uma profundidade de três mil quilómetros no Mediterrâneo há duas semanas, quase um mês depois do desastre que vitimou as 66 pessoas que seguiam a bordo do MS804 em rota de Paris para o Cairo.

Ambas estavam danificadas pelo que foram enviadas para França a fim de serem reparadas por especialistas da agência de aviação. Esta semana, os investigadores anunciaram que o Flight Data Recorder já estava em condições de ser analisado e que a segunda caixa negra estará reparada em breve.

Também de acordo com a equipa de investigação egípcia, a parte da frente do avião que foi encontrada com outros destroços ao longo das semanas que se seguiram ao desastre "mostra sinais de danos provocados por altas temperaturas" e fuligem.