Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Nicola Sturgeon não desiste de manter a Escócia na União Europeia

  • 333

ROBERT PERRY/getty images

Primeira-ministra escocesa voltou a falar sobre a possibilidade de haver um segundo referendo na Escócia

Helena Bento

Jornalista

A líder do Partido Nacional Escocês, Nicola Sturgeon, comprometeu-se a negociar diretamente com os países-membros da União Europeia a permanência da Escócia na UE, vontade manifestada por 62% dos eleitores escoceses que participaram no referendo de quinta-feira.

Nicola Sturgeon, que falava aos jornalistas depois de ter estado reunida com membros do Governo, anunciou também que vai convidar os diplomatas europeus que se encontram na Escócia para uma cimeira na sua residência oficial, em Edimburgo, capital do país. Um dos objetivos do encontro é passar a mensagem de que os cidadãos europeus “são bem-vindos”. “Os cidadãos de países europeus que nos deram a honra de escolher a Escócia como sua casa continuam a ser bem-vindos aqui. Quero ter a certeza de que esta mensagem chega a todo lado”, disse.

A primeira-ministra escocesa anunciou ainda que vai dar início imediatamente a uma série de conversações com a Comissão Europeia para “proteger a relação entre a Escócia e a UE e o seu lugar no mercado comum”. Será ainda estabelecido um órgão consultivo composto por especialistas jurídicos que sejam capazes de aconselhar o Governo escocês sobre esse processo.

Apenas 38% dos eleitores escoceses votaram pela saída do Reino Unido da UE. Na sexta-feira, a líder do Partido Nacional Escocês disse que a possibilidade de haver um segundo referendo no seu país é “altamente provável”. “A minha prioridade é agir no melhor interesse da Escócia. Estou orgulhosa do país e da forma como votámos ontem. Dissemos claramente que não queremos deixar a União Europeia”, afirmou, citada pelo britânico “Guardian”.

Este sábado, o assunto do referendo foi mencionado, embora noutros termos. “Um segundo referendo é claramente uma opção que tem de estar em cima da mesa e sem dúvidas que já está”, disse Nicola Sturgeon. “Para assegurar que isso será feito dentro do prazo definido, serão tomadas medidas para garantir que a legislação é cumprida”, acrescentou.