Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Comissário britânico em Bruxelas demite-se

  • 333

Christopher Furlong / getty

Jonathan Hill diz que não tem condições para se manter em funções tendo em conta o resultado do referendo no Reino Unido

Helena Bento

Jornalista

Jonathan Hill, comissário europeu responsável pelos serviços financeiros, apresentou este sábado a sua demissão do cargo, avança o “Politico”. O comissário britânico considera que, tendo em conta o resultado do referendo no Reino Unido, não tem condições para se manter em funções. “Aproxima-se uma nova fase e, para mim, não faz sentido manter-me como comissário britânico como se nada tivesse acontecido”, afirmou, em comunicado publicado no site da Comissão Europeia.

O pedido de demissão já foi aceite pelo presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker. “No início do mandato da atual comissão, fiz questão de ter o comissário britânico encarregue dos serviços financeiros, como prova da minha confiança na relação entre o Reino Unido e a União Europeia. Mas infelizmente a situação mudou. Tentei convencê-lo a manter-se como comissário. Considero-o um verdadeiro europeu. Compreendo, no entanto, a sua decisão e respeito-a”, afirma Juncker, em comunicado divulgado este sábado pela. Comissão Europeia. Jonathan Hill será substituído por Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia e ex-primeiro-ministro da Letónia.

Jonathan Hill conta, no comunicado citado, que chegou a Bruxelas como “alguém que tinha feito campanha contra a adesão do Reino Unido à moeda única”, mostrando-se sempre “cético” em relação à Europa. “Deixarei agora Bruxelas certo de que, apesar de todas as frustrações, a nossa presença na UE foi boa para nós e para a nossa economia. Mas o que está feito, está feito, e agora temos de estabelecer uma nova relação com a UE tão boa quanto o possível”.

Jonathan Hill começou a ser pressionado para se demitir quando foram conhecidos os resultados do referendo, que deixam o Reino Unido fora da Europa. O site do “Politico” recorda o seu trabalho enquanto comissário dos serviços financeiros, que foi “crucial graças ao papel de Londres enquanto centro financeiro da UE”, algo que, segundo vários analistas, poderá vir a mudar de forma radical com o afastamento do país. Político conservador de longa data e antigo líder da Câmara dos Lordes, Jonathan Hill foi eleito comissário em 2014.