Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Três ativistas detidos na Turquia por escreverem sobre repressão dos curdos

  • 333

Erol Onderoglu, representante dos Repórteres Sem Fronteiras na Turquia

OZAN KOSE / Getty Images

Entre os detidos está Erol Onderoglu, representante dos Repórteres Sem Fronteiras (RSF) no país. Um quarto homem, jornalista e correspondente do maior jornal da Turquia em Nova Iorque, foi detido à chegada ao aeroporto de Istambul na segunda-feira

As autoridades turcas detiveram três conhecidos ativistas pela liberdade de expressão, incluindo o representante turco dos Repórteres Sem Fronteiras (RSF), sob acusações de espalharem “propaganda terrorista”. Para além de Erol Onderoglu, foram presos o escritor Ahmet Nesin e Sebnem Korur Fincanci, presidente da Fundação de Direitos Humanos da Turquia.

As detenções aconteceram na segunda-feira, com um tribunal a ordenar hoje que os três homens fiquem sob custódia até ao início do seu julgamento — segundo os RSF e a organização EuroMed Rights por terem aceitado o convite de um jornal para dirigirem uma edição dedicada aos direitos dos curdos e às repressões de que a minoria é alvo na Turquia.

Segundo Johann Bihr, dos RSF, Onderoglu foi detido pelos três artigos críticos que escreveu sobre as “operações de segurança” levadas a cabo pelas autoridades turcas no sudeste do país, de maioria curda, que foram publicados na edição de 18 de maio da revista “Ozgur Gundem”. Para a organização, o ativista que trabalhou nos RSF durante duas décadas está a ser “vítima dos abusos que sempre denunciou”.

Em comunicado divulgado esta terça-feira, a chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, e o comissário europeu para o Alargamento, Johannes Hahn, criticam a decisão do tribunal por “ir contra o compromisso da Turquia com o respeito pelos direitos fundamentais, incluindo a liberdade dos media”.

“A UE tem repetido insistentemente que a Turquia, um país candidato [à adesão ao bloco europeu], tem de aspirar a padrões e práticas democráticas o mais elevados possível”, refere Mogherini.

Também ontem, Razi Canikligil, correspondente em Nova Iorque do “Hurriyet”, o maior jornal da Turquia, foi detido ao aterrar no aeroporto de Istambul, sem se saber para já do que é acusado pelo Estado. O jornalista tem estado a cobrir o julgamento do empresário turco-iraniano Reza Zarrab, que é acusado de ajudar o Irão a contornar as sanções impostas pelos EUA por causa do seu programa nuclear.