Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Centro comercial evacuado em Bruxelas por ameaça de bomba

  • 333

FRANÇOIS LENOIR / Reuters

Um suspeito foi detido esta terça-feira de manhã, depois de três homens terem sido acusados no fim-de-semana de planear um ataque na capital belga e de outros seis terem sido detidos por alegadas ligações ao ataque falhado num TGV em agosto de 2015

O centro comercial City 2, no coração da capital belga, foi evacuado esta terça-feira de manhã perante uma ameaça de bomba, com as autoridades a deterem um suspeito que dizia estar a usar um colete de explosivos. A polícia foi notificada pelas 5h30 da manhã locais (menos uma hora em Lisboa) de uma "situação suspeita", avançou aos jornalistas Ilse Van de Keere, porta-voz da polícia de Bruxelas-Ixelles. "Um perímetro de segurança foi estabelecido [ao redor do centro comercial] e a unidade SEDEE [das forças armadas belgas] já está no local. As operações ainda estão a decorrer."

À RTL, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, disse inicialmente que a situação é "muito suspeita", cancelando uma entrevista programada com o canal belga, que ia acontecer em direto esta manhã, para se reunir de emergência com o Conselho de Segurança Nacional.

A ameaça de bomba segue-se à operação anti-terrorista que teve lugar em Bruxelas durante o fim-de-semana, com três homens acusados de estarem a planear um ataque contra o público do Euro 2016, o campeonato europeu de futebol atualmente a decorrer em França, e outros seis detidos sob suspeita de envolvimento no ataque falhado de agosto passado num TGV.

De acordo com uma fonte das autoridades à RTL, a ameaça de bomba foi feita numa chamada telefónica pelas 6h da manhã locais. Os serviços de desativação de explosivos também estão no terreno a avaliar a situação.

O centro comercial afetado é tido como um dos maiores potenciais alvos de atentados terroristas em Bruxelas, que vive em tensão máxima desde que militantes do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) levaram a cabo um duplo atentado suicida no aeroporto internacional de Zaventem e na estação de metro de Maelbeek a 22 de março, provocando 32 mortos e mais de 300 feridos.

O City 2 tinha reforçado as suas medidas de segurança na semana passada após os media locais terem alertado para o elevado risco de novos atentados terroristas na cidade com base em memorandos internos da polícia belga, avança o "Le Soir".

De acordo com o mesmo jornal belga, após a reunião com o Conselho de Segurança Nacional, Michel declarou que, "para já, a situação está sob controlo" mas que, mesmo assim, as autoridades continuam "extremamente vigilantes".

Pelas 9h30 da manhã locais, fonte das forças de segurança avançou que nenhuns explosivos foram encontrados no homem detido sob suspeita de ter feito a ameaça por telefone.