Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hungria publica anúncios nos jornais a pedir aos britânicos que fiquem na UE

  • 333

Pablo Blazquez Dominguez/GETTY

É uma atitude algo inesperada dada a fama de antieuropeísta do primeiro-ministro Viktor Orbán, mas faz sentido

Luís M. Faria

Jornalista

A Hungria vai dirigir-se diretamente aos cidadãos britânicos esta semana, através de anúncios publicados em jornais, pedindo-lhes que fiquem na União Europeia. É a primeira vez que um Governo europeu (à parte o britânico, obviamente) o faz durante a campanha para o referendo da próxima quinta-feira, dia 23, no Reino Unido. A mensagem central da Hungria vai ser: temos orgulho estar na UE ao lado do Reino Unido.

A iniciativa surpreendeu alguns observadores, dada a fama de antieuropeísmo associada ao primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán. Desde que ele subiu ao poder em 2010, tem havido enfrentamentos sérios com Bruxelas a propósito de uma série de temas – tratamento de emigrantes, liberdades civis, questões fiscais... A verdade é que a Hungria tem recebido transferências comunitárias no valor de largas milhares de milhões de euros, e não seria do seu interesse deixar a UE.

Estima-se que haja entre 200 e 300 mil húngaros a viver e a trabalhar no Reino Unido. O afluxo maciço de europeus de leste, justamente, é um dos argumentos chave dos grupos britânicos que defendem a chamada Brexit. Mas pelo lado da Hungria, a ligação à Europa é uma questão fundamental. “Embora nos tenham acusado muitas vezes de sermos anti-europeus, isto [a campanha agora lançada nos jornais britânicos] atesta o facto de que a Hungria está comprometida com a União Europeia”, disse o porta-voz do Governo, Zoltan Kovacs.