Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Homem foi formalmente acusado do homicídio da deputada trabalhista

  • 333

DANIEL LEAL OLIVAS/REUTERS

O presumível homicida terá que se apresentar este sábado no Tribunal de Westminster, enfrentando várias acusações

Thomas Mair foi formalmente acusado do homicídio da deputada trabalhista Jo Cox, que foi esfaqueada e baleada na quinta-feira em Birstall.

O britânico, de 52 anos, terá que se apresentar este sábado no Tribunal de Westminster para ser ouvido, enfrentando várias acusações como posse de arma de fogo com intenção de cometer uma infração grave e posse de uma arma ofensiva, homicídio e lesões corporais graves.

Nesta altura, a prioridade da polícia britânica é apurar as motivações que levaram o presumível homicida ao crime. Num comunicado divulgado na sexta-feira à noite, Nick Wallen, chefe da polícia de Yorkshire, garantiu que nenhuma hipótese está afastada e que o caso está a ser investigado.

“Estamos cientes da especulação nos meios de comunicação em relação à ligação do suspeito aos serviços de saúde mental e esta é uma clara linha de investigação que estamos a perseguir. Também estamos a perceber se o suspeito estaria mesmo ligado ao extremismo de direita, o que constitui também linha prioritária de investigação que vai nos ajudar a descobrir o motivo do ataque”, explicou o responsável.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou na sexta-feira que o país está “chocado” com este crime que teve como alvo um dos “mais militantes apaixonados e brilhantes” do parlamento do país.

Na quinta-feira, Jo Cox, de 41 anos, foi esfaqueada e baleada quando saía da biblioteca pública de Birstall e segundo testemunhas, o atacante gritou “Grã-Bretanha primeiro, Grã-Bretanha primeiro”. A deputada trabalhista era defensora da manutenção do Reino Unido na União Europeia, tendo já recebido ameaças de morte por parte de adeptos do Brexit durante a campanha do referendo.

A consulta popular sobre a permanência do Reino Unido na UE está agendada para o próximo dia 23 de junho.

  • Quem é o principal suspeito da morte de Jo Cox?

    O britânico Thomas Mair é o presumível autor do assassinato de Jo Cox, deputada do Partido Trabalhista. É descrito pelos vizinhos como um homem reservado e educado, que prestava trabalho voluntário e que adorava jardinagem. Mas aparentemente também era defensor de ideais neonazis