Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Encontrada uma das caixas negras do avião da EgyptAir

  • 333

Forças Armadas Egípcias / Reuters

O avião despenhou-se a 19 de maio na zona mais profunda do mar Mediterrâneo, perto das ilhas gregas, quando fazia a ligação entre Paris e Cairo

Uma das duas caixas negras do avião da EgyptAir que no mês passado se despenhou no Mediterrâneo foi encontrada esta quinta-feira. A informação foi avançada pela autoridade de aviação civil do Egipto, citada pela Reuters.

O Cockpit Voice Recorder (CVR), fundamental para ajudar a explicar o provocou a queda do voo no dia 19 de maio (já que contém a gravação dos diálogos, sons e anúnios no cockpit), foi encontrado danificado. No entanto, o comité de investigação do Egito anunciou em comunicado que “foi possível recuperar a parte que contém a unidade de memória, considerada a parte mais importante do gravador.” O aparelho foi enviado para ser analisado em Alexandria.

Os investigadores continuam à procura da segunda caixa negra, o Flight Data Recorder (FDR), que regista os parâmetros de voo ao longo de 25 horas: velocidade, altitude, trajetória, etc. Ainda terão que detetar sinais dessa caixa negra, mas já identificaram a localização da maioria dos destroços do avião.

Os investigadores estão numa corrida contra o tempo: as caixas negras deverão deixar de emitir sinais a 24 de junho, momento a partir do qual será ainda mais difícil encontrar o segundo aparelho, uma vez que o avião caiu na zona mais profunda do mar Mediterrâneo.

O avião que fazia a ligação entre Paris e Cairo (voo MS804) despenhou-se no dia 19 de maio perto das ilhas gregas, provocando a morte das 66 pessoas a bordo, uma delas portuguesa. Ainda não se sabem as causas da queda, mas os detetores de fumo terão sido acionados pouco antes do avião sair do radar e, antes de se despenhar, este terá feito um desvio na rota prevista de 90º para a esquerda e 360º para a direita.

As autoridades não descartam a hipótese de terrorismo, mas apontam erro técnico ou humano como as possibilidades mais prováveis.