Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Depois do massacre em Orlando, republicano sorteia duas AR-15 em evento de angariação de fundos

  • 333

Thomas Cooper / GETTY IMAGES

Anúncio foi feito na segunda-feira por Andy Holt, republicano da Câmara dos Representantes, um dia depois do ataque com uma arma desse tipo a uma discoteca gay da Florida que provocou 49 mortos e mais de 50 feridos

Um dia depois do pior massacre com armas de fogo da história dos Estados Unidos, o representante republicano do estado do Tennessee Andy Holt anunciou o sorteio de duas carabinas AR-15, a mesma arma usada pelo autor do tiroteio de domingo em Orlando, num evento de angariação de fundos.

Holt, que se autodenomina um cristão conservador, tinha anunciado na semana passada que ia sortear uma AR-15 durante o “Hogfest”, um barbecue de angariação de fundos organizado na sua quinta. No rescaldo do ataque que provocou 49 mortos e 53 feridos levado a cabo pelo norte-americano Omar Mateen na discoteca Pulse, em Orlando, com essa mesma arma, os jornalistas questionaram o deputado sobre se ia alterar os seus planos. A resposta foi a de que, depois do massacre, vai sortear não uma mas duas AR-15.

“Estou furioso por estar a receber chamadas dos media a perguntarem-se se ainda vou sortear uma AR-15 no nosso Hogfest, em vez de me perguntarem quantas armas de fogo extra é que vamos distribuir pela população para que as pessoas possam proteger-se”, escreveu Holt na sua página de Facebook. “Afinal de contas, foi uma bala que travou o terrorista. Espantoso como tantos parecem esquecer-se desse facto.”

Como acontece no rescaldo de todos os ataques com armas de fogo em solo norte-americano — só este ano houve 173 tiroteios em apenas 163 dias — os republicanos estão a usar o massacre de domingo para defenderem mais acesso a armas de fogo como forma de a população se proteger. O argumento falacioso não tem em conta que, entre outros fatores, foi a facilidade de compra de semi-automáticas como as AR-15 que possibilitou o ataque contra a discoteca Pulse. Apesar de ter sido investigado pelo FBI por suspeitas de atividades terroristas, Mateen conseguiu comprar essa e outra arma de fogo no dia anterior ao massacre.

Na Florida, onde o suspeito de 29 anos vivia e onde fez a compra, não é necessária qualquer licença especial para comprar e deter armas de fogo, sejam elas carabinas, espingardas, pistolas ou revólveres. De acordo com o “site” oficial da National Rifle Association (NRA), que se autointitula uma associação sem fins lucrativos que tem como objetivo defender a 2ª emenda da Constituição e o direito dos americanos à posse de armas, quem quiser comprar uma arma de fogo só tem de preencher um requerimento com os seus dados e pagar 8 dólares (7 euros) pelo chamado “background check”. O vendedor consulta o registo público e, ao abrigo da lei, só está proibido de vender armas a condenados e a pessoas que, de acordo com as autoridades, representem um perigo para si próprias ou para os outros.